terça-feira, 24 de fevereiro de 2009
Avatar

My Dying Bride - For Lies I Sire

13 comentários

Gênero: Doom Metal
País: Reino Unido
Ano: 2009
Comentários: Eis que finalmente saiu o tão aguardado novo álbum da maior banda de Doom Metal dos últimos tempos, My Dying Bride! A banda liderada pelo frontman Aaron Stainthorpe que indubitavelmente é um dos maiores vocalistas da atualidade, seja pela sua performance vocal quanto por sua teatralização nos shows (mesmo detestando apresentar-se ao vivo), ainda conta com um dos mais criativos e originais guitarristas do Metal, Andrew Craighan, com sua formação erudita unida aos tons melancólicos e ao mesmo tempo pesados e Hamish Glencross, que ocupa o posto da segunda guitarra. Aí termina a formação que os fãs conhecem da banda, já que neste álbum os outros três membros não estavam no anterior, A Line Of Deathless Kings (2006). Entram na banda a baixista Lena Abé, o baterista Dan Mullins, ex-Bal Sagoth, e a maior supresa: A tecladista e violinista Katie Stone, que trouxe de volta os saudosos violinos que nos primeiros álbuns da banda eram tocados pelo ex-tecladista do Cradle Of Filth e do Anathema, Martin Powell.

Mas vamos ao álbum. For Lies I Sire começa com a densa e depressiva My Body, A Funeral, com os vocais limpos arrastados, as guitarras tradicionalmente melancólicas e o tão aguardado violino de Katie logo de cara se apresentando. Melódica, pesada em certos momentos e com o andamento extremamente próximo ao Funeral Doom, que vai dar o tom de todo o disco, é um excelente início. Fall With Me vai de cara lembrar os álbuns Like Gods Of The Sun (1996) e The Light At End Of The World(1999), por ser pesada, calcada em riffs marcantes e o bumbo duplo comendo solto, mas ao mesmo tempo só tendo vocais limpos e um violino quase dissonante. A música chega num dado momento até a ter guitarras gêmeas solando, coisa de Heavy Metal tradicional mesmo, que me lembrou até o clássico solo da música Seventh Son Of A Seventh Son do Iron Maiden. Mas não se assustem, logo que o solo termina as guitarras voltam ao andamento lentíssimo que o álbum todo apresenta. The Lies I Sire saiu como preview deste álbum no site oficial da banda, e já era de certo conhecimento dos fãs, mas a música em si me surpreendeu. Como tem sido no álbum todo até este momento, a música é lenta nos moldes do Funeral Doom, mas com vocais limpos melancólicos ao extremo, na linha do que foi feito no clássico The Dreadful Hours (2001). Sem dúvida um dos grandes destaques de todo o álbum, a faixa consegue ser ao mesmo tempo depresiva e ameaçadora, com os vocais do Aaron em um dado momento saindo do seu tradicional cantar limpo para um arrastado grave que encaixou muito bem com os violinos. Só esta faixa já demonstra que For Lies I Sire não é mais um mero álbum na discografia da banda. Bring Me Victory vai assustar. Experimental, já começa logo de cara com os violinos de uma forma nunca antes vista na banda, e a bateria quase tribal, além dos vocais dobrados que também não apareciam na banda desde o famigerado 34.788%... Complete (1998). Contudo, mantenham a calma por que não é nada radical como naquele álbum, mais uma vez no fim das contas tudo se aproxima mais do Like Gods Of The Sun (1996). De qualquer forma, tem uma letra lindíssima e vai ser outro grande destaque. Echoes From A Hollow Soul retorna ao estilo que consagrou os ingleses, levando direto a lembrar do ótimo The Dreadful Hours (2001) novamente. Guitarras dobradas por toda a música, o piano de fundo e o vocal fazem desta sem dúvida uma das mais belas músicas do My Dying Bride até a data. Linda e linear, com certeza será um dos novos clássicos da banda! Shadowhaunt era uma faixa temida pelo nome que inspirava algo muito experimental e bizarro, mas na verdade é uma das músicas mais tradicionais do álbum, praticamente acústica, depressiva ao extremo, vai agradar a todos os fãs da banda, com certeza, e nela finalmente temos guturais! Santuario Di Sangue e seu título em italiano já demonstravam que teríamos mais uma excelente música, depressiva e arrastada, cada vez mais carregando o álbum a ser um dos mais lentos e depressivos de toda a discografia da banda. Sentem falta de peso? Brutalidade? A Chapter In Loathing sacia-vos! O que temos aqui são guturais, palhetadas rápidas, blast beats e uma das faixas da história recente do My Dying Bride de maior peso. E de uma alma sombria incrivel, com direito a cantos gregorianos, susurros e gemidos de fundo. Faixa destruidora! Ao vivo deve ser incrível. Por fim, chegamos à Death Triumphant e o fechamento deste grande álbum. Bem tradicional, a música lembra mais uma vez o The Light At The End Of The World (1999), com belíssimos violinos. E é um excelente término de um dos mais peculiares álbuns da banda.

Para concluir: Já pra quem começar a ler por aqui, saiba que For Lies I Sire é um ÓTIMO álbum. Lentíssimo, é um dos álbuns mais depressivos da banda, composto quase inteiramente de músicas leves porém melancólicas. Hão poucos guturais, quase nada, exceto na pesada A Chapter In Loathing, mas nada que prejudique. Podem baixar todos sem medo, o My Dying Bride continua o mesmo!

Discografia atualizada.

Tracklist:

1.My Body, A Funeral
07:15
2.Fall With Me
06:47
3.The Lies I Sire05:29
4.Bring Me Victory04:08
5.Echoes From A Hollow Soul07:19
6.ShadowHaunt04:37
7.Santuario Di Sangue08:27
8.A Chapter in Loathing04:46
9.Death Triumphant11:06

Links:

Rapidshare

Megaupload
Zshare
Badongo
DepositFiles

13 Responses so far.

  1. Acho que eu sou a única do mundo que não gosta de MDB...

  2. Forbidden says:

    No mundo não, mas no blog só você e o Koticho, Renata... kkk

  3. Estava esperando ansiosamente por este album!

  4. dee says:

    Muito, mas muitoooo obrigada por nos disponibilizar esse álbum. Estava aguardando desde o ano passado e aqui foi o primeiro lugar a divulgá-lo.
    Obrigada. =]

  5. Anonymous says:

    Fodástico!

  6. Adriel says:

    Um dos melhores do ano! valeu

  7. Igor... says:

    MDB sempre foi e sempre será foda!!!

  8. ÁLBUM ESTUPENDO !!

    Belo post Forba \o

  9. Washington Costa says:

    Grande álbum... um dos mais belos do My Dying Bride... a "My Body, a Funeral" já nasceu clássica!! com certeza um dos melhores do ano!!

  10. Gabriel says:

    My Dying Bride o que posso dizer mais ;D

  11. Tiago says:

    Um dos melhores álbuns do ano!!!
    Álbum cheio de canções lindas e clássicas, difíceis de tirar da mente.

    My Dying Bride é uma das maiores bandas de Doom Metal da atualidade!
    Recomendo! o/

  12. Dandi says:

    Perdeu metade da graça, mas continua bom. Santuario di Sangue pelo menos ainda lembrou o velho MDB (e pelo menos tem uma música em que ele fala "Doom" '-').

    Enfim. MDB é inegavelmente muita qualidade, mas acho que decaiu muito.

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.