segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011
Avatar

John Frusciante - Shadows Collide With People

5 comentários
Gênero: Alternative Rock/ Experimental Rock/ Electronica/ Folk
Ano: 2004
País: EUA

Comentário:
John Frusciante, para aqueles que vivem em outro planeta, é o guitarrista mais notório que passou pelo Red Hot Chili Peppers. Sua carreira solo, porém, não tem muito de parecido com o Red Hot. Ela começou quando John era um drogado de nível elevadíssimo, quando chegou a gravar álbuns para patrocinar sua ruína. Os álbuns, desde o começo, sempre foram muito experimentais e macabros. Sem nem mencionar que eram sofríveis. Literalmente uma dor física ouvir os primeiros trabalhos do Sr. Frusciante. Mas mesmo em meio àquele horror psicótico, podia-se ouvir lampejos de genialidade no seu trabalho.
Eis que em 2001, John recém recuperado, limpo, vegetariano, fisico e espiritualmente renovado, retorna aos Chili Peppers para gravar o genial Californication, e, no background volta a trabalhar na sua carreira solo, lançando dezenas de álbuns em um intervalo pequeno de tempo.

Em 2004, John Frusciante pariu o seu trabalho mais acessível, entitulado Shadows Collide With People, contando com a ajuda de seus amigos e parceiros de longa data Josh Klinghoffer (atual guitarrista do Red Hot), Flea e Chad Smith (ambos também do Red Hot) e Omar Rodríguez-Lópes (The Mars Volta).
Nos primeiros instantes do álbum, o som de sintetizadores dá a impressão de que este seria mais uma das bad trips musicais de John, mas alguns segundos depois, Carvel se apresenta como uma ótima canção de rock alternativo, com muitos backing vocals e orientada pelo som da humilde guitarra de John.
Humilde guitarra, por que, é raríssimo, encontrar um álbum solo de um guitarrista de rock que não seja uma hora de exibicionismo técnico. John consegue ser um guitarrista tão visionário, que as vezes deixa de lado a guitarra em suas canções.

O álbum todo é um emaranhado de influências e constrastes. Temos canções puramente eletrônicas, canções com um forte "quê" de Indie Rock. Outras baladas regadas à violões e pianos. Pode-se até dizer que o clima soturno das músicas, aliados ao uso de sintetizadores e o abuso do experimentação, lembra Radiohead, e até The Mars Volta, porém BEM menos frenético.

John chegou a lançar em seu site oficial uma versão acústica do álbum, pois o mesmo afirmou que o álbum teve produção demais, o que costuma ser o oposto dos lançamentos dele, geralmente chegando até a ser rotulados como lo-fi por seu método de gravação analógico e sem produção alguma.
Shadows Collide With People é, provavelmente, a melhor "entrada" para aqueles que desconhecem o som de John Frusciante, pois o álbum reúne todos elementos de sua carreira solo: o experimentalismo, os sintetizadores, a voz única de John, e todo o feeling e tristeza inerente à sua música. Um álbum lindo e altamente variado, indicado para qualquer um que aprecie a boa música.

Site Oficial//Facebook

Tracklist:
"Omission" – 4:33
"Regret" – 2:58
"Ricky" – 3:57
"Second Walk" – 1:42
"Every Person" – 2:38
"–00Ghost27" – 3:50
"Wednesday's Song" – 3:31
"This Cold" – 2:00
"Failure33 Object" – 2:56
"Song to Sing When I'm Lonely" – 3:16
"Time Goes Back" – 3:23
"In Relief" – 3:36
"Water" – 4:06
"Cut-Out" – 3:34
"Chances" – 1:49
"23 Go in to End" – 6:42
"The Slaughter" – 3:53

Download

5 Responses so far.

  1. Diamera says:

    link n ta prestando vei =[

  2. Resenha perfeita, esse álbum é um dos meus favoritos de todos os tempos!

  3. Resenha muito bom, vou conferir o som depois volto aqui para comentar, acho!

  4. Que disco lindo, viajei ouvindo. - ''é raríssimo, encontrar um álbum solo de um guitarrista de rock que não seja uma hora de exibicionismo técnico, só por esse''. comentário já vale baixar.

  5. ele voltou para os Chili Peppers em 98 o Californication é de 99

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.