domingo, 5 de junho de 2011
Avatar

Coletâneas Pignes 2011: Pignes goes Hip Hop

6 comentários

Comentário: Sempre achei interessante como os ditos "roqueiros" vêem o hip hop como seu grande antagonista na música. Isso foi algo que sempre me intrigou visto que ambos são os gêneros mais difundidos de música urbana contemporânea, dois estilos nascidos das mãos dos negros e que se tornaram os maiores representantes musicais da juventude transgressoras nas últimas décadas. Músicas vindas das ruas para expressar o sentimento de jovens a quase três gerações, e que mesmo com o passar do tempo, ao contrário dos inúmeros gêneros que transitam pela música pop, estes se mantém firme e forte.

Nessa coletânea me preocupei em montar uma boa seleção de uma ramificação do hip hop relativamente recente desenvolvida de forma totalmente independente chamada de "underground hip hop", fiz isso para que aqueles que ainda não conhecem e resolvam dar uma chance recebam uma bela surpresa. Hoje em dia a imagem que é muito difundida do hip hop é aquela vinda do tão famoso West Coast que criou a imagem do gangsta, dos bling blings, dinheiros, mulheres, carros e outras futilidades além.

Esqueçamos tudo isso, as motivações aqui são maiores, hip hop com letras profundas que abordam desde tematicas sentimentais, críticas das mais ácidas a sociedade, questionamentos sobre fé, niilismo, dentre outras temas fortes e até polêmicos. Enfim o que eu quero dizer é que podem esperar aqui por músicas densas, de atmosfera sonora envolvemente, onde cada rapper selecionado possui um flow excelente, que converge perfeitamente com suas batidas. É essa grande sacada aqui no tal underground hip hop, a combinação dessas grandes letras, do flow, com uma preocupação melódica muito grande. Aqueles que costumam usar críticas piegas ao falar mal de hip hop comumente usando argumentos do tipo “rap é só uma batida repetitiva com alguém falando” vem abaixo.

Desde as músicas com programação eletrônica das mais simples, ja é possivel notar essa preocupação com melodia e atmosfera, mas grande parte vai muito além. Sejam guitarras distorcidas e pesadas como na faixa do Saul Williams, o puro jazz encontrado em músicas como as do Madvillain e muitos outros, a base de piano do Tonedeff, o violão com influências folk do Sage Francis, o canto lírico dando tom épico na faixa do Ill Bill, a atmosfera trip hop do Kno, entre tantas e tantas outras influências que esses caras carregam em suas músicas.

Tracklist

01 - Atmosphere - Until The Nipple's Gone
02 - Sadistik - Playing God
03 - Ill Bill - Babylon
04 - Grieves - Dead In The Water
05 - Madvillain - All Caps
06 - Cage - Hell's Winter
07 - Cunnylinguists - Shattered Dreams
08 - Saul Williams -Telegram
09 - Aesop Rock - Daylight
10 - cLOUDDEAD - And All You Can Do Is Laugh, Pt. 1
11 - Dälek - No Question
12 - MF Doom - Hoe Cakes
13 - Mos Def - Auditorium
14 - El-P - Flyentology
15 - Fat Jon - Adhara
16 - Why - The Vowels Pt. 2
17 - Kno - They Told Me
18 - Tonedeff - Masochist
19 - Blackalicious - The Fall And Rise Of Elliot Brown
20 - Input - Pictureface
21 - P.O.S - Goodbye
22 - Eternia & Moss - Any Man
23 - Tyler, The Creator - Yonkers
24 - Sage Francis - Polterzeitgeist

6 Responses so far.

  1. Ficou perfeita a coletanêa, Kot. Seria o gênero que eu queria ter pego. Mas World Music também foi muito legal de se fazer. O Underground Hip Hop realmente possui algo diferenciado, embora o West Coast não seja de todo ruim. Aaah e parabéns pelas capas, ficaram muito bem feitas. Apesar de tudo, as coletanêas foram, sim, uma excelente idéia. To esperando pela minha... ^^

  2. nameless says:

    orrra realmente, ficou foda, foi certo ponto foda tirar o east and west coast, mas tá manjado todo mundo conhece, faltou coisas nacionais tambem, mas entrou coisas muito boas como P.O.S., El P, Dalek, Ill Bill

    ah faltou também um Jedi Mind Tricks, mas ficou foda parabéns kot

  3. Nameless, obviamente o West Coast tem muita coisa boa, assim como o East igualmente, mas eu quis ficar fora desse cenário mais old school. Quanto aos brs, vou postar uma coletânea só de rap br mais pra frente, e aliás, meu proximo post deve ser do Black Alien.

  4. Valeu, Matheus! A sua será postada em breve :D

  5. Rômulo Alexander says:

    Foda, foda!
    Hip Hop sempre foi minha segunda paixão, depois do Rock, e também nunca entendi esse antagonismo. Sem falar que os dois se dão muito bem juntos, essa música do Ill Bill sampleia uma música do Manfred Manns Earth Band, ficou lindo! *.*

  6. Ian Andrade says:

    Legal você não centrar a coletânea no estereótipo do Hip Hop, mais um motivo pr'eu baixar, além de conhecer muito, muito pouco o gênero. Ótimo post!

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.