terça-feira, 14 de junho de 2011
Avatar

Theatre of Tragedy - Discografia

14 comentários

Gênero: Doom/Gothic Metal, Gothic Metal, Electropop, Industrial
País: Noruega 
Ano de formação: 1993
Anos em atividade: 1993-2010

Comentário: Esta discografia não é uma novidade no Ignes. Ela já foi postada antes, assim como outros álbuns isolados da banda. Entretanto, atualmente não há nenhum link ativo, e apenas uma resenha publicada. Por isso, resolvi postar a discografia inteira, uma das minhas discografias favoritas!

A banda Theatre of Tragedy foi fundada em 1993. Foi a primeira banda a se dedicar ao estilo de vocal apelidado "Beauty and the Beast" - que consiste no uso do contraste de vocais sopranos com guturais - e acabou sendo muito reconhecida por isso. Foi a locomotiva de bandas como Tristania, The Sins of Thy Beloved, Trail of Tears, e muitas outras que receberam o polêmico rótulo "Gothic Metal".

Não há muita biografia a ser contada. A melhor história a se contar sobre o Theatre of Tragedy é o conjunto de surpreendentes mudanças de sonoridade entre seus álbuns.

Theatre of Tragedy lançou seu primeiro Full-length, homônimo, em 1995. A estreia inovadora busca os arrastados riffs do Doom e os insere num cenário melódico, atmosférico, melancólico, e ocasionalmente sinfônico. É o que muitos chamam de "Gothic Metal". As letras são escritas num inglês mais antigo, e isso cria um clima medieval na sonoridade das canções, o que é reforçado com a inserção de determinados elementos sonoros. A voz de Liv Kristine, extremamente aguda, doce e angelical, é uma cascata de emoção. O piano de Lorentz Aspen é outro elemento importantíssimo, uma das marcas do Theatre of Tragedy. O segundo álbum, Velvet Darkness They Fear, segue a mesma proposta de seu antecessor. Com uma produção melhor e com canções mais complexas, tornou-se uma obra-prima desta vertente do metal, além de ser considerado por muitos o melhor trabalho do Theatre of Tragedy.

A primeira grande mudança no som dos noruegueses ocorre em 1998, com o álbum Aégis. Boa parte das mudanças já podiam ser reparadas no Velvet Darkness, bem como o Aégis já aponta algumas mudanças futuras. Neste álbum, o Metal é deixado de lado. Riffs distorcidos são raros e ofuscados pela constante presença de pianos e sintetizadores. A bateria ganha maior ênfase. Raymond Rohonniy também deixa seu vocal gutural de lado para cantar limpo, fazendo elegantes duetos com a bela voz de Liv. As canções são arrastadas, repetitivas, se moldam aos poucos. O clima medieval sentido nos álbuns ateriores retrocede para a antiguidade. Cada faixa de Aégis recebe o nome de uma personagem feminina de histórias mitológicas européias. O resultado é profundo, intenso, e graciosamente melancólico. Siren é uma das canções mais tristes que já ouvi. É o meu álbum preferido do Theatre of Tragedy, e muitos compatilham essa opinião comigo.

Musique, lançado em 2000, foi a grande suspresa da evolução do Theatre of Tragedy. Musique é um album de música eletrônica. Raymond passa a fazer um vocal robótico, enquanto Liv se limita ao canto popular. O inglês arcaico é deixado de lado e a temática se volta para questões futuristas, modernas ou tecnológicas. Toda a música é guiada pelos sons eletrônicos. As guitarras ficam em segundo plano, com uma pegada meio industrial. Alguns classificam Musique como Industrial Metal, o que eu não acho tão correto. Eu diria que é um Electropop pesadinho, dançante e com estruturas simples e refrões absorvíveis. O Industrial aparece em algumas faixas, como em City of Light e Crash/Concrete, através de seus riffs orgásmicos. O álbum seguinte, Assembly, segue a mesma linha, com sutis diferenças. As letras de Assembly, escritas por Liv, abordam uma temática erótica de forma bem sutil e interessante. Sua sonoridade se aproxima do Chillout em muitas faixas, especialmente em Motion. Dou destaque para Liquid Man, canção bem sexy e empolgante. Penso que ela deveria ser ainda mais eletrônica! 

É claro que essa mudança foi revoltante para a grande maioria dos fãs. É uma supresa ver a banda que fazia um Doom complexo e sombrio passar a fazer um Electro simples e feliz; por isso esta fase da banda é a mais desprezada pelos ouvintes. Particularmente, gosto muito dos álbuns eletrônicos do Theatre of Tragedy, e penso que eles realmente devem ser ouvidos sem ser comparados aos trabalhos antigos. Cada álbum tem uma proposta diferente. E cada álbum cumpre muito bem sua proposta.

Mais uma grande mudança aconteceu com a saída da vocalista Liv Kristine. No álbum Storm, em 2006, os vocais femininos foram reponsabilidade de Nell Sigland, que se mostrou muito competente no trabalho. Storm marca também um retorno ao Metal, conduzido pelas guitarras e toques de pianos, algo bem parecido com o que era feito nos primeiros álbuns. Entretanto, não há nada de tão especial nas cordas, o que deixa os teclados como a maior atração do álbum. Storm é, na minha opinião, o álbum mais fraco do Theatre of Tragedy. Me parece sem sal, pouco criativo.

A discografia se encerra com Forever is the World, em 2009. Este álbum dá mais um passo em direção ao Metal, ainda que conte com muitos efeitos eletrônicos. O retorno do vocal gutural de Raymond, ainda que pouco usado, foi uma surpresa agradável. Com letras mais ousadas e clima mais intenso do que seu antecessor, considero Forever is the World um ótimo álbum. Muitas faixas merecem destaque, como Astray, Frozen, Hide and Seek e, especialmente, Hollow, uma das canções mais completas da banda. Ao escutar Forever is the World, pensei que o Theatre of Tragedy estava destinado a criar mais trabalhos marcantes para a história do Metal. Entretanto, foi com um bocado de tristeza que recebi a notícia de que a banda tinha encerrado suas atividades, para que os membros se dedicassem às suas vidas pessoais. Theatre of Tragedy termina em 2010, com 7 full-lengths lançados em 4 fases bem distintas.

Abaixo estão os links de download de cada full-lenght em ordem cronológica, seguido por alguns álbuns complementares. São eles:
Demo de 1994, com quatro belas canções naquele clima amador de gravação;
EP Inperspective-A Rose for the Dead, que é uma compilação de dois EPs, na minha opinião, os mais importantes lançados pelo Theatre of Tragedy;
Closure:Live, álbum ao vivo com canções dos primeiros trabalhos da banda; e
Last Curtain Call Live, CD que acompanha do DVD lançado recentemente em 2011, com predominância de canções dos dois álbuns mais recentes.


Site Oficial || Myspace



1995 - Theatre of Tragedy (Album)


Tracklist:

01 - A Hamlet For A Slothful Vassal
02 - Cheerful Dirge
03 - To These Words I Behold No ...
04 - Hollow-Hearted, Heart-Departed
05 - A Distance There Is
06 - Sweet Art Thou
07 - Mïre
08 - Dying - I Only Feel Apathy
09 - Monotonë


Download:
100mb, 320kbps
Mega


*******


1996 - Velvet Darkness They Fear (Album)


Tracklist:

01 - Velvet Darkness They Fear
02 - Fair And 'Guiling Copesmate Death
03 - Bring Forth Ye Shadow
04 - Seraphic Deviltry
05 - And When He Falleth
06 - Der Tanz Der Schatten
07 - Black As The Devil Painteth
08 - On Whom The Moon Doth Shine
09 - The Masquerader And Phoenix


Download:
113mb, 320kbps
Mega


*******


1998 - Aégis (Album)

Tracklist:

01 - Cassandra
02 - Lorelei
03 - Angelique
04 - Aaede
05 - Siren
06 - Venus
07 - Poppaea
08 - Bacchante
09 - Samantha
10 - Virago


Download:
129mb, 320-192kbps
Mega


*******


2000 - Musique (Album)


Tracklist:

01 - Machine
02 - City Of Light
03 - Fragment
04 - Musique
05 - Commute
06 - Radio
07 - Image
08 - Crash-Concrete
09 - Retrospect
10 - Reverie
11 - Space Age
12 - The New Man (Bonus Track)
13 - Image (French Version)


Download:
145mb, 320kbps
Mega

*******


2002 - Assembly (Album)


Tracklist:

01 - Automatic Lover
02 - Universal Race
03 - Episode
04 - Play
05 - Superdrive
06 - Let You Down
07 - Starlit
08 - Envision
09 - Flickerlight
10 - Liquid Man
11 - Motion
12 - Keep Me Hangin' On
13 - Let You Down (Unreleased Rico And Superdead Remix)
14 - Motion (Unreleased Funker Vogt Remix)


Download:
127mb, 320kbps
Mega

*******


2006 - Storm (Album)


Tracklist:

01 - Storm
02 - Silence
03 - Ashes And Dreams
04 - Voices
05 - Fade
06 - Begin And End
07 - Highlights
08 - Senseless
09 - Exile
10 - Disintegration
11 - Debris
12 - Beauty in Deconstruction (Bonus Track)
13 - Storm (Tornado mix)


Download:
124mb, 320kbps
Mega


*******


2009 - Forever Is The World (Album)

Tracklist:

01 - Hide And Seek
02 - A Nine Days Wonder
03 - Revolution
04 - Transition
05 - Hollow
06 - Astray
07 - Frozen
08 - Empty (Bonus Track)
09 - Illusions
10 - Deadland
11 - Forever Is The World


Download:
134mb, 320kbps
Mega

*******


1994 - Demo 1944 (Demo)

Tracklist:

01 - A Song By The Hearth
02 - A Hamlet For A Slothful Vassal
03 - Dying - I Only Feel Apathy
04 - Soliloquy


Download:
23mb, 192kbps
Mega

*******


2001 - closure:live (Live)
Tracklist:

01 - Intro - And When He Falleth
02 - Der Spiegel
03 - Cassandra
04 - Venus
05 - Black As The Devil Paintath (RMX V2)
06 - Siren
07 - Poppaea
08 - Bachante
09 - A Distance There Is
10 - Der Tanz Der Schatten


Download:
116mb, 320kbps
Mega

*******


2001 - Inperspective-A Rose for the Dead (EP)

Tracklist:

01 - A Rose For The Dead
02 - Der Spiegel
03 - As The Shadows Dance
04 - And When He Falleth (Remix)
05 - Black As The Devil Painteth (Remix)
06 - Decades (Joy Division Cover)
07 - Samantha
08 - Virago
09 - Lorelei (Icon Of Coil Remix)
10 - The Masquerader And Phoenix (Phoenix Mix)
11 - On Whom The Moon Doth Shine (Unhum Mix)
12 - Der Tanz Der Schatten (Club Mix)


Download:
144mb, 320kbps
Mega

*******


2011 - Last Curtain Call (Live)

Tracklist:

01 - Hide And Seek
02 - Bring Forth Ye Shadow
03 - Ashes And Dreams
04 - A Rose For The Dead
05 - And When He Falleth
06 - Venus
07 - Hollow
08 - Storm
09 - Fade
10 - Forever Is The World


Download:
120mb, 246-276kbps
Mega

14 Responses so far.

  1. Forba says:

    Eu nem sei o que dizer sobre Theatre. Só vou dar um depoimento pessoal. 

    Eu tenho uma adoração incondicional pelos dois primeiros discos da banda, pra mim acho que raras vezes eu me emocionei tanto com riffs até simples e passagens de piano também não muito complexas. A beleza é sutil mas profunda. O Aégis eu não ligo muito, o Musique eu até curto um pouco, e sem querer pagar de fã idiota, mas daí pra frente eu não sinto mais a mesma emoção de jeito nenhum. Eu postei a discografia deles da outra vez e tal, mas pra falar a verdade, se eu postasse de novo só postaria os dois primeiros álbuns. O resto é bom, mas não tem o sentimento, infelizmente.

    Em todo caso, excelente iniciativa. As discografias estão quase todas off, infelizmente. Pretendo reupar algumas importantes e de bandas que eu adoro, e a do Theatre estava entre elas. Me poupou trabalho :B

  2. Alexandre says:

    Velvet Darkness e Aegis são explendidos, clássicos e referências para todas as bandas e curtidores do estilo.

  3. Junior_12006 says:

    Eu acho o 1ª albúm deles umas das maiores obras de arte do metal ><.Destaque para cheerful dirge *_*

  4. Concordo com o que foi dito lá encima, cada álbum tem que ser visto com uma proposta diferente, e o Theatre of Tragedy é muito bom mesmo, além de que na minha opinião eh uma banda perfeita, porque gosto de todos os álbuns. Pena que eles enceraram as atividades e mais pena ainda que eu não fui pro show deles aqui no Brasil porque não fiquei sabendo a tempo ¬¬

  5. Anonymous says:

    Perfeitamente una das melhores banda d gotico metal...fodastco

    \m/

  6. Anonymous says:

    ESTOU CONFERINDO AGORA,ESPERO GOSTAR.

  7. xaropealex says:

    Caramba o teatro ainda tenho o k7 e levo no walkman (kkkk) é muito bom tipo 'a bela e a fera' e 'matriarch' está ultima pra mim e mais legal. VALEU IGNES ELEVANIUM

  8. Musique e ASsembly devem ser obliviadas noa da historia do tot mas da historia do rock..foi lamentavel liv kristine uma canatora de voz doce soprana cristalina ,que logo anos depois floreceria como 5.o na sua escala..cantar aqueles pop eletronico ridiculo....
    nao tem comparaçao....
    os tres primeiros cds saos os melhores..com a entrada de nell,foi a tentativa de resgatar tot,que tava na lama.
    nell foi um anjo,bela voz muito parecida comde cristine soprana cristalina mas havia um timbre agudos que ela nainda nao alcançava como a liv fazia...mas foi aceita e era otima tbm.
    gosto da liv kristine mas ela se prestar a este ponto de cantar limpo e fazer raimond voz gutural death cantar roboticamente em musique e assembly foi ridiculo..
    adeus teatre of tragedy minha preferida banda....de gothic metal e nao sei o que mais..

  9. Tentei baixar os primeiros mas diz que os arquivos foram removidos do servidor. Agradecimentos desde já ;)

  10. And thou embracest my bleeding heart... says:

    Thanks!

  11. Anônimo says:

    Muchas gracias, la habia estado buscando! sigue asi.

  12. Junior says:

    Faltou

    The Rose of the Death 1997

  13. Kyoh ;D says:

    Eu ia comentar algo, mas você já disse tudo que eu queria dizer.
    Vejo os dois primeiros álbuns como uma obra-prima e que nunca terei a oportunidade de ouvir algo semelhante. Eu gosto do trabalho da Liv, tanto no Leaves quanto solo, mas estes também não trazem o mesmo sentimento e profundidade que o velvet darkness they fear.
    Fico me perguntando como passagens relativamente simples de guitarra e teclado, conseguem me tocar tanto.
    Vivo por aí, procurando outro velvet darkness they fear para me preencher hoje, assim como fez naquela época.

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.