terça-feira, 20 de dezembro de 2011
Avatar

VA - Fenriz Presents... The Best Of Old School Black Metal

5 comentários


Gênero
: Black Metal
País: Vários
Ano: 2004

Comentário: Leif Gylve Nagell, vulgo Fenriz, é o carismático baterista de uma das mais peculiares bandas do panteão do Black Metal norueguês, o Darkthrone. No entanto, além de posar de malvado e fazeres afins, o cara é um grande fã de música e além de ter uma grande coleção de discos de bandas clássicas e underground de Metal extremo, Fenriz sempre aparece em filmes ou documentários discutindo - quase sempre tirando sarro - a cena músical do Black Metal com grande erudição. E baseado em seu conhecimento e influências não só para o Darkthrone como para a grande maioria das bandas da "second wave" do Black Metal, o cara resolveu reunir em um álbum as melhores bandas da gênese do Black Metal, grande maioria dos anos 80, e algumas bandas mais modernas que praticam com maestria a sonoridade mais malvadesca que era possível naquela época.

Continue e vamos percorrer a história do metal do capeta.


A coletânea toda é absurdamente boa, realmente foi escolhida com primor, banda por banda, e música por música. O disco não se restringe as bandas nórdicas, até por que, caso não saibam, o Black Metal inicialmente teve mais força bem longe da Escandinávia, especialmente na América do Norte, América do Sul (Colômbia e Brasil principalmente), na Inglaterra e na Europa central. A coletânea começa com o Blasphemy, banda formada em 1984 no Canadá, apenas dois anos depois do mítico Black Metal ser lançado pelo Venom. Logo depois vem nosso orgulho nacional, e uma das maiores influências pra estética do Black Metal escandinavo, o Sarcófago. A banda liderada pelo hoje Ph.D em Economia Wagner Lamounier, foi um marco em dois estilos do Metal: o Black Metal com o INRI de 1987 e o Technical Death Metal com o Laws Of The Scourge de 1991. A música escolhida para figurar na coletânea não poderia ser outra se não a própria faixa de abertura do INRI, que provavelmente foi uma das mais impactantes músicas a ressoar nos ouvidos do adolescente Fenriz, que em conjunto com as outras bandas dessa listagem o fez entrar de cabeça no estilo do capeta. Logo depois temos a talvez segunda maior contribuição estética para o Black Metal, os suíços do Celtic Frost, que ao longo de sua discografia influenciaram incontáveis subestilos do Metal extremo, e nesta coletânea está representada com uma faixa do seu mais famoso álbum, To Mega Therion de 1985.

Na quarta faixa então temos Natterfrost, um projeto encabeçado pelo homônimo vocalista do Carpathian Forest já nos idos dos anos 2000, em busca de recordar a sonoridade perdida dos ídolos do "Old School Black Metal", mas é nítidamente a faixa mais moderna do disco. O projeto é interessantíssimo, por que reproduz bem os elementos que fizeram o estilo famoso, até mesmo aquela produção ligeiramente mais prejudicada que torna tudo mais frio, mórbido e sinistro. A seguir vem os dinamarqueses do Mercyful Fate, primeira banda do lendário King Diamond, e seus falsetes maravilhosos estão bem presentes na faixa escolhida. A banda formada em 81, ou seja, antes do marco inicial oficial do estilo, o Black Metal do Venom, era essencialmente uma banda de Heavy Metal. Mas a morbidez e o encapetamento transbordavam dos temas abordados pela banda e logo o instrumental começou a encorpar, e o Mercyful Fate se tornou outra grande influência no Black Metal.

Agora temos então uma sequencia de bandas mais conhecidas no Thrash Metal ou com claríssimas influências do mesmo, mas que tiveram uma importância fundamental nos primórdios do gênero. Primeiro o Sodom, com uma faixa do seu lendário EP de 84, In The Sign Of Evil. Logo após o combo de Thrash é rapidamente interrompido por uma faixa cadenciada e maravilhosa dos húngaros do Tormentor, banda que foi uma das primeiras do estilo a bater de frente com a política do seu país, que era na época um estado Comunista, e revelou um dos maiores vocalistas da história do Metal, Atilla Csihar, que ficou famoso no Mayhem e hoje canta até no Sunn O))). Então eis que voltamos ao Thrash com o Aura Noir, formado em 1993 altamente influenciado pelo começo do Kreator. Aura Noir é uma das bandas que eu particularmente mais gosto dessa coletânea, tem uma energia imensurável e uma pegada fantástica. Logo em seguida descemos ainda mais fundo no Thrash com o Destruction, com uma faixa do segundo álbum dos alemães, Eternal Devastation, de 1986, que difere do Thrash comum da época inicialmente por ser bem mais técnico e cadenciado que muitos dos seus conterrâneos, que apostavam numa sonoridade mais linear.

A segunda banda suíça da coletânea, mostrando que lá existe bem mais que chocolate, relógios cuco e dinheiro roubado, ou pelo menos isso tudo existe sob a clara influência direta de Satã. O Samael teve um bombástico debut em 1990 com o álbum Worship Him e a sonoridade é bem mais que uma simples cópia desenvolvida do Celtic Frost. Posteriormente a banda se tornaria ainda uma das primeiras a fundir o Industrial e o Black Metal. Agora temos a mais antiga banda da coletânea, os Italianos do Bulldozer, com sua alta dose de Speed Metal mesclado aos satânicos riffs black metalerísticos. Energia e velocidade, puros e vorazes. Eis que temos em seguida "Freezing Moon" um das mais clássicas faixas do Black Metal inicial, do fantástico álbum De Mistheriis Dom Sathanas do Mayhem, que possuía em sua formação do disco não só o já citado Atilla Csihar como Varg Vikernes nas guitarras, cujos feitos serão abordados mais adiante na resenha, embora eu aposto que todo mundo que está lendo saiba quais são. Agora temos então a terceira e última banda suíça do disco, o Hellhammer, que talvez tenha sido a que conseguiu com mais sucesso ser "malvada", em todos o sentidos da palavra, lá pelos anos 80. Sua breve vida, apenas 2 anos, foram suficientes para a transformar em fortíssima influente para as bandas de Black Metal que viriam a seguir, basicamente expandindo o que o Venom fez.

Finalizando o disco temos 3 faixas de 3 bandas extremamente clássicas e indispensáveis numa coletânea do gênero, a começar pelo Burzum. Projeto solo do carismático Varg Vikernes, foi uma das mais famosas membras do 'inner circle' do Black Metal norueguês, grupo cujos membros tinham como hobbies queimar igrejas, se matar com tiros de escopeta e assassinar colegas de banda a facadas. Antes de ser preso o cara expandiu e muito a fusão de Black Metal e Dark Ambient com álbuns como Filosofem, lançado em 1996. A penúltima faixa é do já citado várias vezes anteriormente, álbum que originou o nome do estilo, Black Metaldo Venom. Em 1982 os ingleses mostravam ao mundo uma sonoridade ainda bastante influenciada pelo Thrash Metal mas já muito mais mórbida e falando essencialmente do capeta - mas ainda bem longe estéticamente do que é o Black Metal hoje, pois o mundo ainda não conhecia Sarcófago, Mercyful Fate e Celtic Frost. E finalizando, temos Quorton e seu Black Metal sueco, que também descambaria para serem pioneiros do Viking Metal. Incontáveis bandas tem o Bathory como referência músical e lírica, mostrando, ao lado do Burzum, como o Black Metal é um estilo onde as "one man bands" prosperaram.

Enfim, resenha longa mas merecida para uma coletânea que é uma viagem histórica no Black Metal e absolutamente recomendada para qualquer fã do estilo ou curioso querendo conhecer mais sobre o início do reinado do coisa ruim sobre os estilos mais extremos do Heavy Metal. E lembrando ainda que a coletânea ainda deixa de citar várias bandas que poderiam ser citadas como grandes influências do estilo, mas se fossemos rigorosos, essa coletânea ficaria naturalmente gigantesca. E a escolha teria sido ainda melhor se não fosse o (chatíssimo) guitarrista do Possessed na época do épico Seven Churches de 1985 (além de tocar no Primus atualmente) ter negado a Fenriz que as músicas da banda fossem usadas na coletânea. No geral, são mais de uma hora de pura blasfêmia aos moldes do passado. Sensacional.



Tracklist:

1.Blasphemy – "Winds of the Black Gods"
2,Sarcófago – "Satanic Lust"
3.Celtic Frost – "Dawn of Megiddo"
4.Nattefrost – "Sluts of Hell"
5.Mercyful Fate – "Evil"
6.Sodom – "Burst command til war"
7.Tormentor – "Elizabeth Bathory"
8.Aura Noir – "Blood Unity"
9.Destruction – "Curse the Gods"
10.Samael – "Into the Pentagram"
11.Bulldozer – "Whisky Time"
12.Mayhem – "Freezing Moon"
13.Hellhammer – "The Third of the Storms"
14.Burzum – "Ea, Lord of the Deeps"[2]
15.Venom – "Warhead"
16.Bathory – "Dies Irae"

Links:


Megaupload (NOVO!)
Outros Links

5 Responses so far.

  1. BARÃO Douglas Silva says:

    bem legal essa coletania ai

  2. xaropealex says:

    A coletania parece estar muito boa.

    Coloque um link mais amigavel, o do deposito parece ter sido removido

    kkkkk

    \m/ \m/ \m/ \m/

  3. xaropealx says:

    Nada melhor do que começar o dia com o melhor do metal
    Muito boa a seleção

    Um otimo presente de natal
    viva o nascimento do demo kkkkk
    \M/ \M/ \M/

  4. Forba says:

    Culpa do Mirrorcreator que falhou em me servir com o Megaupload dessa vez. Hoje a tarde sai link pro Megaupload galera, avisarei na cbox.

  5. Damien Willis says:

    Não bastava a coletânea, tinha de fazer um bela resenha. Parabéns, Forbão.

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.