sexta-feira, 27 de janeiro de 2012
Avatar

Pignes Singles #06

3 comentários

Voltando às atividades depois de algumas semanas de bebedeiras bem merecidas — até porque ninguém aqui é Piotr Rasputin (hã hã, sacaram?) — continuaremos com nosso Pignes Singles, atualmente em sua sexta edição (como se não bastasse o título do post...).

Agradecemos ao interesse de todos, já que estes posts bateram recordes de visualizações em tão pouco tempo, praticamente nos obrigando a continuar e se possível torná-los ainda melhores. Por isso, comentem, as boas ideias e críticas sensatas sempre serão ao menos cogitadas, embora nem sempre respondidas.

Fora isso não há muito (nada) o que comentar, o que importava de verdade vocês acabaram de saber: estamos de volta. Então vamos ver o que estes dois últimos meses (ou mais) tem a nos oferecer?

E ah! Bem que a Mafalda avisava que SOPA era ruim de engolir.





#01
Lamb Of God - Ghost Walking
(05/12/11)

Grudenta, pesada e massacrante. Esses são os adjetivos que acompanham o single novo da banda de Virginia liderada pelo "carismático" e excelente vocalista Randy Blythe. O refrão da música é excelente, os riffs bastante pesados e grooveados como de costume, então, em suma, nada que nos decepcione vindo do Lamb Of God.






#02
Veil Of Maya - Vicious Circles
(??/??/2012)

Já a algum tempo no cenário do "Deathcore Progressivo", a banda dos EUA conseguiu o que poucas bandas do estilo fizeram: Quebrar a barreira da saturação que dominou o Deathcore. E fizeram isso adicionando à fórmula da suas músicas o elemento mais ascendente atualmente no Metal: O Djent. E ficou excelente o resultado do último single da banda, recomendo fortemente que escutem e comprovem por si mesmos.

 




#03
Anti-Flag - The Neoliberal Anthem
(??/??/2012)

Famosa por apoiar diversos grupos ativistas, especialmente nos EUA, como o PETA, Anistia Internacional, Greepeace e mais recentemente o Occupy Wall Street, o Anti-Flag tem mais de 20 anos de carreira com um punk rock moderno e melódico, porém engajado e nos traz em 2012 um novo álbum, The General Strike, cujo primeiro (e por enquanto único) single é The Neoliberal Anthem, que tem uma letra um tanto quanto reacionária, sarcástica e anarquista. Ou seja, excelente, exatamente como o punk é.





#04
Sleigh Bells - Born to Lose
(02/01/2012)

O projeto paralelo de Derek E. Muller, guitarrista do Poison the Well, não ficou só no debut, Treats, de 2010. Novamente ao lado da bela Alexis Krauss, formando o Sleigh Bells, anuncia agora o lançamento do álbum Reign of Terror para 2012. A primeira parcela do registro foi liberada logo no início do ano: Born to Lose denota que o tom do trabalho continuará nas praias do noise pop retorcido e cheio de raiva.






#05
Jay-Z - Glory (feat. Blue Ivy Carter)
(09/01/2012)

A paternidade traz frutos fabulosos ao ser humano. E dentre essas benesses, a centelha da inspiração também incorpora aqueles que possuem talento. Assim foi com Jay-Z, com o nascimento de sua filha com Beyoncé, Blue Ivy Carter. A canção Glory traz o relato de quão maravilhoso é esse momento em sua vida. Um fato interessante: ao incluir o choro de sua filha no final da faixa, bem como ter colocado seu nome dentre os créditos da canção, Blue é a pessoa mais nova a figurar no ranking de singles dos Estados Unidos.





#06
Florence + the Machine - No Light No Light
(15/01/2012)

Diretamente do aclamadíssimo Ceremonials, segundo álbum da carreira de Florence Welch junto de sua banda, que constou da nossa lista dos cinquenta melhores registros de 2011, é lançado agora o single de No Light No Light, uma das melhores faixas do disco. A continuidade da divulgação coincide com a apresentação do grupo no Brasil, no Summer Soul Festival, em São Paulo, no próximo dia 25 de janeiro.





#07
Chase & Status - Flashing Lights (feat. Sub Focus e Takura)
(06/01/2012)

Alguns dizem que o Drum & Bass morreu, outros asseguram que o estilo está agonizando em seu leito de morte. O duo londrino Chase & Status, entretanto, tenta fazer de seu último disco, No More Idols (2011, Mercury), um desfibrilador do gênero, reavivando seus tons dançantes. Flertando um pouco com o dubstep, a introdução em violão é bastante original.







#08
Nicola Roberts - Yo-Yo
(02/01/2012)

Dissidente do grupo feminino Girls Aloud, a ruiva inglesa Nicola Roberts tentou, no ano passado, a sorte lançando-se em carreira solo, tendo lançado o álbum Cinderellas's Eyes (2011, A&M Records) como debut. O registrou demonstrou uma interessante mistura de dance pop com R&B, sendo que a cantora possui uma bela voz. Yo-Yo, terceiro single do disco, sintetiza bem a essência do disco.







#09
Guided By Voices - Chocolate Boy
(17/01/2012)

Resenha 1
Sem lançar nada de novo desde 2005, o Guided By Voices, um dos monstros do Indie Rock, mandou no fim do ano o álbum Let's Eat the Factory, com um conceito todo diferentão, mas com músicas que relembram bem a sua forma clássica. Chocolate Boy é uma faixa curta e direta. è o terceiro single do disco, que tem nada menos do que vinte e uma faixas.

Resenha 2
As vezes é gratificante a longevidade de algumas bandas. Guided By Voices foi uma das seminais bandas do Indie Rock e Lo-Fi americanas, e agora em 2012, quase 30 anos depois do início da banda, lançam mais um álbum, o décimo sétimo da carreira. Robert Pollard mais uma vez nos agracia com música sincera, simples, porém muito bem compostas e inundada de sentimentos.





#10
Projota e DJ Caique - Cada Um Com Seus Problemas
(17/07/2012)

Dois dos precursores do coletivo/projeto 3F's - foco, força e fé - Projota e DJ Caique, aquele um dos MCs mais talentosos do rap contemporâneo, este o prinipal nome da produção do Hip Hop nacional, se juntaram para lançar o primeiro trabalho do ano. Ao contrário do que seu título pode indicar, Cada Um Com Seus Problemas não trata de coisas banais, mas sim, mais uma vez, de problemas reais e graves rimados com extrema maestria.






#11
Goldfrapp - Melancholy Sky
(03/01/2012)

Formado em 1999 por Alison Goldfrapp e Will Gregory, o duo londrino que leva o sobrenome de sua vocalista faz um electropop que alterna momentos de calmaria com animação extrema. O primeiro single do ano, Melancholy Boy, corresponde à impressão que seu nome passa, trazendo um singelo e tristonho arranjo, acompanhado de vocais bem tranquilos.







#12
The Big Pink - Stay Gold
(09/11/2011)

Hoje é dia de artistas ingleses: mais uma vez, um single saído de Londres figura nessa lista. Dessa vez trata-se do The Big Pink, banda de Indie Ropck que tinha lançado seu debut, A Brief Story of Love, em 2009, e nada mais tinha produzido. No começo desse ano lançaram Future This, o segundo álbum da carreira. Em setembro, liberaram o primeiro single do disco, o Stay Gold, carro chefe do registro.







#13
Swedish House Mafia vs Knife Party - Antidote
(15/01/2012)

Os suecos do (dã) Swedish House Mafia se juntaram aos australianos do Knife Party, agora no começo do ano, para tentar entrar na onda do dubstep. Especialistas em House, o grupo tenta, aqui, embarcar na onda daquilo que Skrillex definiu como Dubstep - mas que não o é.








#14
Nada Surf - Waiting for Something
(09/01/12)

Nada Surf nasceu no Brooklyn no início da década de 90, e durante ela marcou seu nome como uma importante banda do cenário alternativo/indie. Waiting for Something integra o novo registro do grupo, o álbum The Stars Are Indifferent To Astronomy, um power pop grudento que remete a atmosfera da época de ouro da banda em 1996 quando eles explodiam por todos os Estados Unidos.






#15
Bon Iver – Towers
(06/03/2012)

2011 foi o ano do Bon Iver, o músico que já vinha sendo aclamado pela crítica chegou ao seu auge com o lançamento de seu disco auto-intitulado e deslanchou de vez. Figurou entre a maioria dos tops álbuns de 2011, fez parcerias com diversos músicos de renome e se solidificou completamente. Towers é mais uma das singelas músicas que integram o disco dessa figura tão importante da cena folk/indie contemporânea e mostra o porque do músico ser tão aclamado.





#16
Mark Lanegan - The Gravedigger's Song
(02/01/2012)

Mark Lanegan é uma das vozes fortes dos anos 90. Conhecido pelo seu timbre rouco e soturno, uma voz completamente única e marcante. Foi com ela que chegou ao sucesso com sua primeira banda o Screaming Trees durante o auge do Grunge, e posteriormente se lançou em carreira solo e participou de várias bandas como Queens of the Stone Age, Mondo Generator e de artistas como a PJ Harvey. Gravedigger’s Song volta pra mostrar o que ele faz se melhor, música densa e de atmosfera sombria e fria da melhor qualidade.





#17
Pepe Deluxé  - A Night and A Day
(17/01/2012)

Pepe Deluxé é um duo finlandês de música eletrônica experimental por assim dizer. Nada muito complexo ou bizarro, mas experimental por sempre flertar com diversos estilos diferentes, construindo um som único mas muito coeso. A Night and a Day integra o quarto álbum de estúdio deles, o ótimo Queen and the Wave, que viaja desde o Surf Rock até o Breakbeat.






#18
Zola Jesus - In Your Nature
(21/02/2012)

Nika Roza Danilova, mais conhecida como Zola Jesus é uma cantora Russo-Americana, e também uma das maiores promessas da cena indie. A cantora que surge dentre tantas outras cantoras alternativas, traz um vozeirão forte como a Florence, mas porém incorpora muitos elementos conceituais e artísticos no melhor estilo Bjork. Seu som passeia desde o industrial, o gótico e o experimental, até pelos caminhos mais pops do indie, formando um som denso mas com a cara de Zola Jesus estampada. O single de In Your Nature conta também com um remix de nada mais nada menos do que o mestre David Lynch.





#19
Slim Rimografia & Thiago Beats - O Que Será
(25/12/11)

Quem estava acordado e seguindo Slim Rimografia no Twitter na noite de 24/12 pôde acompanhar sua inesperada campanha. A surpresa viria em forma de single que só seria liberado caso sua página no Facebook fosse curtida uma quantidade de vezes que não me recordo agora, mas que fora atingida em tempo. A promessa era que o single "O Que Será" fosse liberado no mesmo dia, mas acabou ficando para o outro dia, aumentando ainda mais a curiosidade dos seguidores. O single apresenta duas versões, onde uma é instrumental e conta com o parceiro Thiago Beats. A resultado é uma música bem embalada, mas com uma temática mais romântica.





#20
Holy State - Lady Magika
(30/01/12)

Lady Magika é um dos singles liberados pela Holy State para seu disco de estréia 'Electric Picture Palace', que tem data de lançamento para 30/04. Apesar de nova, Holy State já demonstra uma sonoridade própria, porém sem novidades, mas ainda assim contagiante e com a vantagem de ter se apresentado em locais invejáveis. Um rock alimentado por batidas simples, um bom vocal e distorções, que são talvez o ponto chave da banda. Isso porque apesar da sonoridade mais animada, as guitarras nos remetem para algumas velhas conhecidas do rock britânico. Lady Magika é magicamente influenciada pelo pop mas quando o disco for lançado poderão se deparar com uma energia mais hardcore punk.







3 Responses so far.

  1. Essa do Swedish House Mafia lembra Mortal Kombat ahsudhaushd

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.