terça-feira, 24 de abril de 2012
Avatar

Adrenaline Mob - Omertà

19 comentários


Gênero: Progressive/ Heavy Metal
País: EUA
Ano: 2012

Comentário: Mal se juntaram, esses galãs do rock´n roll, Mike Portnoy e Russel Allen (com mais uns caras bons aí, mas quem se importa depois de saber dos dois primeiros?), já tão dando maior bafafá no mundinho antenado. Em 2011, eles promoveram a banda com o vídeo no qual tocam uma versão de “The Mob Rules”, do Black Sabbath. Aí já jogaram na hand o EP, e num intervalo não muito grande, lançaram o digníssimo "Omertà".

Bom, vocês já perceberam que é a típica banda que não tem erro né?

Vim correndo fazer essa resenha, que já estava fervendo aqui nos neurônios, antes que né, ficasse mto ~last week~. Loguinho vai começar a pipocar em tudo quanto é blog, já senti os primeiros estouros, aí me piquei a mula aqui pro lápis virtual. Porque olha, puta albunzinho bão, irmão!

Ah! E também pq eles vão tocar no s2 Sweden Rock Festival s2 (sucesso sucesso sucesso!), na Suécia ~obviamente~ em junho. Façam suas preces, joguem positividade para esta que vos fala, pq se o papai do céu ouvir direitinho, vocês poderão ler resenhas EXCRUSIVAS desse festival, pignetes, pignetos e pigfilhos!

E tem mais, olha como eles são bonzinhos: na última Black Friday comprei pelo site uma camiseta lindademeudeus e ganhei o EP di grátis sem custo adicional e gratuitamente de forma que não precisei pagar por! Nhó, que amores!
Véi, imagina se eu consigo autografar tudo? Nossa, Nóza!
Ó, se vc, empresário de sucesso que está lendo esse post, fizer o povo do Pignes ficar rico escrevendo unprofessionalmente sobre música, juro que eu te dou a camiseta, o EP, e mais a cueca suada do Mike Portnoy (à qual sem dúvida eu terei acesso), tudo autografadinho, banhado no formol e embalado à vácuo! Me liga tá?

Agora vamos ao que vocês realmente querem ler ;p
Eles se dizem, e eu adoro sempre citar como as bandas se autointitulam, “a musical mafia of the highest order”. Aí vc vê que “Omertà” é um termo bem coisa das máfias, negócio de código de silêncio, essas piras de criminoso destemido. Sim, destemido! Agora traduza isso pro inglês... Pronto! Vc já sabe o nome da música que introduz o álbum: “Undaunted”.
Ela é chique, já chega dando aviso aos wannabe xarope, pra ficarem espertos, que negócio ali é tru. Lá no release do álbum os caras dizem que ela é perfeita pra tocar em uma luta do UFC, haha! Pô, e sabe que é?!
“Psychosane” e “Believe Me” são mais frenéticas, e não menos chiques. Agora, tem "Down to the floor" que é pra acordar os vizinhos depois de uma bela noite agitando e liberando loucamente determinados hormônios, se é que vocês me entendem (...) Algumas baladinhas mais meiguinhas fazem parte do álbum também, mas vou deixar a minha parte mimimi falar só de "Come Undone", versão da original do Duran Duran, que ficou coimailindideus! A vocal do Halestorm participa mto dignamente, aliás, Liebe Lzzy Hale! Mulherzinha por dentro, um bocado ogra por fora, como se deve ser.

Estou terminando esse post lá do chuveiro, cantando "cannot believe you´re taking my heart...TO PIEces" (garganta rasgando = voz aguda) "whOOO do you neeeed? whOOO do you loooove? when you cOOOme undone? (com o sabonete na boca = voz grave).

Apreciem!


Tracklist:
  1. Undaunted (4:45)
  2. Psychosane (4:38)
  3. Indifferent (4:30)
  4. All On The Line (4:21)
  5. Hit The Wall (6:33)
  6. Feelin’ Me (3:55)
  7. Come Undone (4:50)
  8. Believe Me (3:59)
  9. Down To The Floor (3:33)
  10. Angel Sky (4:26)
  11. Freight Train (4:13)



19 Responses so far.

  1. leandro says:

    Álbum bom,review terrível. Mas como gosto de coisas toscas vou dar uma olhada em outros coisas escritas pelo autor/autora...

  2. Seu primeiro hater, Nóza, aprecie esse momento. Me lembro do meu como se fosse hoje... Cadê você, BARBARO do CAPS LOCK, que me abandonou??

  3. Nóza says:

    hauahaua ai que delícia!

  4. Nóza says:

    do que vc gosta, liebe leandro?
    registraremos sua reclamação e trabalharemos para melhor atendê-lo. volte sempre :}

  5. Nunca tive um Hater, deve ser porque ninguêm lê os meus posts.
    Carência.

  6. Forbidden says:

    Eu já tive tanto hater, mas o mais célebre foi o tal de ANONIMO (sim, ele fazia questão de colocar em caps lock). Meu post do My Chemical Romance com uns 40 comentários taí pra provar isso. Mas era divers :B

  7. Forbidden says:

    Mas há indícios que BARBÁRO e ANONIMO eram o mesmo pela sac.. quer dizer, mesma pessoa

  8. Nóza says:

    pô, então dos haters, o meu é massa, pq além de não usar o caps lock, ele colocou o nome (ou pelo menos se deu o trabalho de inventar um ;p)
    e ainda prometeu pesquisar mais dos meus posts, pq afinal, minhas resenhas são terríveis, mas ele (sadomasô?), gosta :}

    fica triste não marcos, posso te dar umas dicas de como escrever terrivelmente, ai quem sabe vc ganha um tbm

  9. Olha, desculpe a sinceridade, mas na minha opinião o leandro tem suas razões. Gosto do seu espírito extrovertido, Nóza, isso soma muito ao nosso grupinho Os Batutinhas, mas não engoli muito sua resenha também não :B

  10. Nóza says:

    ok, me escreva por e-mail os motivos e o q vc realmente gostaria de ler, q estudarei sobre, blz?

  11. Forbidden says:

    Gente, pra que tanta polêmica, me diga aí quem não entendeu do que se trata o álbum pela resenha? Ela disse que é projeto do Allen e do Portnoy, comentou música por música, ainda falou umas curiosidades da banda, tipo o nome e um material interessante que comprou. Não é assim que todos nós resenhamos? Ela só falou isso de uma forma menos sizuda que todos nós fazemos, mas falou essencialmente a mesma coisa. Ninguém aqui é redator formado em jornalismo em Harvard, todo mundo sabe. Se começar a vir critica encima de nossas resenhas e ainda tiver gente do blog alimentando os trolls isso não acaba mais. A qualidade que a gente "julga" nas resenhas enviadas pelos emails dos candidatos a novos upadores é mais a capacidade do cara de enxergar as influencias no som, o cara gostar de escrever e tal, saber escrever de forma a dar vontade de baixar inclusive. Afinal nenhum de nós teria moral pra julgar a capacidade de ninguém em escrever. Repito então: o que tem de errado nessa resenha?

    O Ciola sabe, na primeira resenha dele eu pedi pra ele corrigir algumas coisas. Mas em particular, sem polêmica, ele corrigiu e tá susse. A Nóza que mal entrou já certamente ficou meio bolada com essas críticas publicas, ainda mais por que foram descabidas e cheias de sarcasmo. Lamentável, mas vamos ignorar isso e espero que a Nóza não se abata. Se minha opnião interessa a alguém, a resenha foi tão boa quanto todas as outras que encontramos no blog e tinha inclusive um diferencial que eu acho fantástico: falar além da musicalidade do álbum em si, sobre algumas curiosidades (como o nome) e tudo mais. Dá mó 'intimidade' com a banda, acho isso super legal e sempre tento fazer isso. Ou seja, não encontro um motivo que seja pra isso tudo.

    Enfim, chega, pelo amor de deus.

  12. Estou procurando o tal do troll/hater até agora. Fora isso, já mandei meu recado para a Adriana.

  13. Nóza says:

    aproveitando a primeira faixa do album, só digo isso:

    you're talking the big talk
    but I walk the big walk
    you wannabe

    you'll never forget me
    you'll live to regret me
    you're pushing me
    you wannabe!

    I stand undaunted.

  14. Nóza says:

    nunca mais cito o UFC num post, deu bad vibe ;p

  15. Só fui ouvir o disco agora, essa Undaunted é fodona mesmo! Imagino um nego virando a costas enquanto alguma coisa explode porque ele tacou um cigarro, né não

  16. xaropealex says:

    puts foi 10 a resenha (ri até) e o disco é bom.

  17. Ariel C. says:

    Forba é um pai! ♥

    Compartilho do sentimento do M.A. em nunca ter tido um hater!
    Às vezes é como se eu não pertencesse ao Ignes! :B

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.