domingo, 23 de setembro de 2012
Avatar

Pignes Clips #1 - Curtas-Metragens

3 comentários

Você, meu caro leitor, já deve ter notado que nos últimos tempos o Pignes a fim de diversificar seu conteúdo tem investido em outras colunas além das já tradicionais resenhas de álbuns e discografias que sempre fora o foco principal deste blog. Pignes Singles, Julgue o disco pela capa, Pignes LIVE!, Bandas amigas, Playlist do Porco, Porco na Cena, foram algumas das criações incorporadas ao site nos últimos meses, alguns outros projetos estão por vir, mas hoje venho aqui para inaugurar o Pignes Clips.

A ideia é óbvia, a cada edição teremos um tema, e dentro deste tema escolheremos clips de estilos diversos, não importando o gênero, apenas que a temática do vídeo se encaixe com o tema do post. Esta será uma coluna leve, com o intuito apenas de entreter, nada muito denso como o Batendo de Frente.

Como introduções longas são entediantes, darei o chute inicial na listagem que nessa primeira edição será sobre videoclipes no formato de Curta-Metragem.


#1. Michael Jackson - Thriller

Acho que independente do tema escolhido, se o assunto é videoclipe, Thriller do Michael Jackson merece destaque especial ao compor a lista, afinal, fora Thriller que mais parecia um filme hollywoodiano, o responsável por revolucionar completamente a história do tal do clip. Sim, antes de Thriller as bandas já investiam de certa forma na produção de conteúdo audiovisual, mas nada como o que aconteceu depois dessa que fora uma obra divisora de águas. Anteriormente a ideia de clip consistia na banda tocando ao vivo ou com algum cenário de fundo, sem muita parafernália ou qualquer tipo de produção mais refinada, após Thriller o investimento nesse tipo de divulgação se tornou massivo, obras complexas, rebuscadas, a criatividade fora levada a extremos para criar vídeos que coadunassem com o conteúdo da música, e juntamente transmitissem alguma mensagem em específico, ou ao menos divertisse aquele que está assistindo. Não é nem um pouco exagero dizer que a história dos videoclipes se dividem entre antes e depois deste vídeo. Dirigido por John Landis (Irmãos Cara-de-Pau), a intenção foi de verdadeiramente criar uma película, enredo, superprodução (foram gastos 500 mil de dólares na gravação, isso numa época onde 500 mil dólares proporcionalmente valiam muito mais do que hoje). Jaqueta vermelha, zumbis, e a coreografia mais conhecida da história, não é preciso dizer mais nada.



#2. Beastie Boys – Sabotage

Sabotage, Body Movin’, Intergalactic, Don't Play No Game That I Can't Win, a especialidade do Beastie Boys no lance dos clips sempre foram a de encenar histórias, e obviamente, das mais escrachadas. A escolha de apenas um vídeo do trio nova iorquino foi difícil, mas Sabotage acaba vencendo por toda sua representatividade. Dirigido pelo ótimo Spike Jonze (que também foi responsável pela direção de vários outros trabalhos do grupo, além de grandes filmes para o cinema), em Sabotage Mike D, MCA e Ad-Rock satirizam de forma sensacional os clássicos filmes de ação policial dos anos 70 e 80, digno de deixar Charles Bronson orgulhoso.



#3. Killer Mike – Big Beast

Eu sei que o ano ainda não acabou, mas dificilmente algum álbum de hip hop irá superar R.A.P Music lançado por Killer Mike. Ele que até então nunca havia feito nada de espetacular ou relevante durante sua carreira, em uma genial ideia que não faço a mínima de onde surgiu, resolveu unir forças com El-P, esse que é um monstro na arte da produção e composição de bases, beats e tudo o mais. O resultado final ficou absurdo, e pra impactar ainda mais o lançamento do álbum, junto dele foi lançado o clip de Big Beast, que bem, é simplesmente animal. Ao longo de seus 10 minutos cheio de perseguições, suspense, cenas levemente perturbadoras, o video é muito empolgante, digno de deixar o espectador eufórico.



#4. Depeche Mode – Wrong

Provavelmente esse disputa o posto de clip favorito deste que vos fala. E de alguma maneira, ele nem pertence a fase clássica do Depeche ou tem lá muita importância pra história, porém toda a composição é sensacional. A música particularmente acho uma das melhores da fase mais recente da banda, a letra também é parte essencial do trabalho e que dá toda a base da sacada que gerou a ideia do clip, que bem, não posso contar muito sem o risco de dar spoiler, mas é basicamente um thriller de 4 minutos, com um plot twist final de ficar boquiaberto.



#5. Rammstein - Haifisch

Rammstein sempre investiu muito na parte visual, seja em seus shows super produzidos ou clips. Todos são excelentes e com temáticas para todos os gostos (apesar de geralmente investirem pesado em temas polêmicos como pornografia, homossexualismo, pedofilia na igreja e autoflagelação, obesidade e por aí vai). O leque de opções de clips para usar neste post era enorme, mas escolhi Haifisch por um único motivo. Este que fora o ultimo clip lançado, no ultimo álbum tem um diferencial, nele ocorrem referências a maioria dos clips anteriores do grupo, praticamente uma inception videoclipística. Como não poderia deixar de ser, o clip é cheio de humor negro, referência a caras como James Hetfield e Marilyn Manson e outro que conta com um plot twist final genial (e cômico).



#6. Spiritualized – Hey Jane

Spiritualized é Jason Pierce que é J Spacemen e vice-versa. Um cara extremamente admirável por todos seus trabalhos, e que merece respeito eterno pelo clássico “Ladies & Gentleman, we’re Floating in Space” e todos seus outros álbuns é claro, seja no Spacemen 3 ou no próprio Spiritualized. Após 4 anos parado com o Spiritualized em virtude de um tratamento médico além do tempo dedicado à composição de Sweet Heart Sweet Light que veio ao mundo este ano, o lançamento do álbum foi precedido pelo videoclipe do single Hey Jane. Uma ótima canção com traços que remetem até ao gospel. O clip é denso, mostra a história de um pai de familia negro e travesti junto de seus filhos, onde tudo se encaminha a um final dramático.




Sim, esta é uma trilogia. Com o hard rock enérgico do Danko Jones dando o tom, fora produzida uma trilogia de curtas metragens para três músicas do álbum Below the Belt. Super produção, atores hollywoodianos, nomes como Elijah Wood (o eterno Frodo), Selma Blair, Mike Watt e até Lemmy Kilmister integram o elenco dos vídeos, esses que são um mar de cenas clichês das mais legais possíveis. Cenas extremamente badasses e cool, ação, muita ação, roteiro bobo, porém divertido, puro entretenimento como um bom blockbuster pode propiciar, só que com uma excelente trilha sonora, ou melhor, três.



#8. Pearl Jam – Do The Evolution

Lembro da primeira vez em que assisti o clip the Do The Evolution, ainda eram os anos 90, a MTV reinava e algum programa que não me lembro o nome exibia o vídeo. Pra mim que na época era um infanto com 10 anos ou menos, desenhos eram tudo, quando aquela animação colorida e sombria surgiu na tela, fiquei hipnotizado, mas o efeito final foi um completo mindblowing na cabeça de uma criança. O vídeo de Do The Evolution é forte e pesado, e confesso, me deixou assustado. A evolução da humanidade com foco em toda a crueldade que assola o homem, aquela quantidade de atrocidades acontecidas, e o rumo que as coisas pareciam tomar, isso me deixou alguns dias sem dormir.




#9. Between The Buried And Me – Obfuscation

 O Between the Buried and Me sempre teve uma aura grandiosa, músicas longas e extremamente complexas, claro, tudo isso é uma grande referência ao estilo progressivo que é fator marcante na banda, então isso se projetar pra um vídeo em forma de película era certo. Vomito verde, headshots, palhaços macabros, um vilão mágico, viagem no tempo é um pouco das bizarrices que você encontra em Obfuscation. 



#10. M.I.A – Born Free

Nunca entendi porque durante um tempo tentaram vender a M.I.A como cantora pop, em grande parte de suas músicas o experimentalismo sempre falou mais alto, e muitas vezes com uma aura bem agressiva. MAYA álbum mais recente e detentor de Born Free talvez seja o mais experimental de todos. Born Free recebeu como vídeo-clip um curta dirigido pelo ótimo Romain Gavras, que dirigiu o excelente clip da Adidas que tem Civilization do Justice de trilha, e o também impactante clip de No Church In The Wild do The Throne. O vídeo de Born Free é chocante, não é exagero a restrição +18 do Youtube, o clip mostra até então a SWAT capturando ruivos, levando os pra um tipo de campo de concentração, e bem...


3 Responses so far.

  1. Bela lista. Wrong é um dos meus clipes preferidos também. Da lista que eu tinha pensado (sobre Plano Sequência) iria constar também, mas beleza uhahua

  2. Xaropealex says:

    krai o pignes sempre colocando fogo nas kbças

  3. PS: Elijah Wood deixou de ser o Frodo pra mim. Agora ele é o Ryan e acabou.

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.