domingo, 9 de setembro de 2012
Avatar

Shaw - Orquestra Simbólica

2 comentários
Gênero: Hip-Hop/Rap
País: Brasil
Ano: 2012

Comentário: Quanto ao cenário musical brasileiro, presenciamos uma enorme revira-volta, tanto à música independente como ao foco deste post, o rap nacional.

  No entanto, é lamentável que tal fenômeno – só visto antes no final da década de 90, quando ainda contávamos com Sabotage, Facção Central, RZO, Racionais MC's (que a propósito, em breve lançará um novo CD) e outros grandes nomes – seja dominado não pela nova escola, mas sim por maurícios reprovados e evadidos.

 A moda que se criou no entorno desse gênero, tão excêntrico no Brasil, têm transformado-o no que tanto julgamos e relutamos: o hip-hop norte americano.
 O consumismo, a valorização dos bens e essa superficialidade tão presentes na maior potência mundial os trouxe um enorme dividendo. E não me refiro a situação econômica-financeira dos E.U.A., me refiro à venda de imagem, à sensação de dívida (com 2Pac, Notorious etc) que sentimos ao ouvir rappers como Rick Ross e Gucci Mane, que exaltam dinheiro, carros e marcas de roupas; ou até Wiz Khalifa e Mac Miller, que por sua vez exalam tetrahidrocannabinol (tá vendo, pra alguma coisa a "Sem Planta", da Cone Crew Diretoria, serviu).

 No Brasil, esse cenário sempre se diferenciou, sempre teve como base a revolução proletariada, a justiça social às comunidades carentes e, até podemos dizer, a motivação através de canções.
Infelizmente, essa tradição vem sendo perdida, principalmente quando nos voltamos à grupos ascendentes; que não teram os nomes citados.

  Contrariando esse cenário, alguns membros da extinta fábrica de talentos Quinto Andar, tem criado frente à isso, como é o caso do Xará; do MC Marechal (que finalmente nos presenteará com seu álbum); e é claro, do homônimo Shawlin.

  O momento em que seu último trabalho foi lançado talvez não tenha sido, nem de longe, um dos melhores.  Segundo o próprio autor, Ruas Vazias juntou poeira nas prateleiras até 2009-2010; quando alguns (3) T(r)emores finalmente deixaram seu epicentro e escupiram seu status nacional, abrindo assim, as cortinas desse palco.
Contudo, a defasagem de bom conteúdo tem deixado o público assíduo carente de um bom disco. Portanto, dessa vez, o timing não poderia ser mais perfeito.

  Para quem não sabe, Shawlin trabalha com recuperação de acervos de música clássica, daí então sua profunda idéia de criar "atos" para seu mais novo álbum.
Aos desatentos, talvez isso só crie confusão na tracklist, porém, a diagramação abaixo separa-os e, se bem interpretada, pode nos ajudar a entender melhor os temas.

Exemplo: faixa 7, “Sob Controle”: se trata de um eu-lírico subversivo, sujeito a tudo. Daí então “O Etéreo”: O Vazio.

  Além de seu exclente flow, Shaw consagra sua versatilidade aos nos mostrar faixas pesadas como Reza Forte – que conta com a participação de Black Alien –, outras mais românticas como Na Saga, Pausa para Luxúria, e até constrasta canções mais “reflexivas” (aquelas mesmas que estão em falta nas prateleiras), fazendo delas os pontos mais altos do álbum, como é o caso de O Mago, Orquestra Simbólica, Malditos Políticos e, é claro, a obra-prima deste CD, Algo Lindo.

 Apresenta também um recurso bastante utilizado por rappers que figuram o experimentalismo, como MF Doom: as paráfrases e os diálogos entre as líricas  – que devo dizer, caíram como uma luva –.

 E por fim, acho que não poderia concluir sem elogiar a excelente mixação dos beats e samples, que se sequenciam perfeitamente. Ao meu ver, um dos melhores trabalhos de 2012.



Tracklist:
Intro Mov. I Apresentação 1. "Apresentação"
Mov. II A Orquestra Começa 2. "O Mago"
Mov. III Nasce O Vilão 3. "Criando Monstros"
Cotidiano I O Início
4. "A Área prod. Papatinho"
Réquiem para Mocidade 5. "Homem é Crescer part. Juju Gomes"
Cotiano II O Meio
6. "Coração"
Sonhos de; Futuro 7. "Na Saga prod. Cabes"
Sonhos de; Grandeza 8. "Aliança Pt. 3 prod. Damien Seth"
Estudos para Pessimismo e Piano 9. "O Teatro dos Corruptos"
O Maestro 10. "Orquestra Simbólica"
A Fé 11. "Reza Forte part. Black Alien"
O Noturno 12. "Cidade das Luzes"
Sonhos de; Justiça 13. "A Revolta part. Renato Biguli"
Op. 171 14. "Malditos Políticos prod. DJ Caíque"
Prelúdio para Ego e Determinação (O Vilão Diz) 15. "Passos Firmes"
Pausa para Luxúria 16. "Pausa para Luxúria prod. Cabes"
Hedonismo e Fuga 17. "Viver, Zoar, Amor part. Juju Gomes"
O Etéreo 18. "Sob Controle"
Cotidiano III O Fim 19. "As Verdades part. Juju Gomes, prod. Vina"
Finale 20. "Algo Lindo part. Luiz Melodia"

Download:

2 Responses so far.

  1. PH says:

    Belo post, Ciola. Realmente, parece coisa d ehipster, mas é foda ver como o rap se popularizou pro bem e pro mal, pra gente que não faz ideia do que o rap é, gente que acha que Pollo é a melhor banda de rap braisleiro da história. Shaw é sempre bem-vindo no meu itunes, o flow dele é sensacional. To baixando, valeu ae!

  2. Realmente, chega a ser deprimente, ainda mais com páginas no facebook como essa: http://www.facebook.com/pages/Rainha-agora-usa-aba-reta/408842642513116 :T

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.