domingo, 4 de novembro de 2012
Avatar

Worship - Discografia

11 comentários


Gênero: Funeral Doom Metal
País: Alemanha
Ano: 1998-atualmente

Comentário: Worship é a definição do termo "underground cult", pra começo de conversa. Especialmente por dois fatos.

O primeiro vem a ser que o lançamento mais famoso da banda é sua DEMO. Que depois foi relançada em diversos formatos, mas originalmente chamava-se Last Tape Before Doomsday. E essa demo tinha tudo que uma demo deveria ter, gravação ruim, instrumentos e vocais abafados e foi péssimamente distribuida. Mas no entanto ela tinha uma coisa essencial: uma inspiração absurda. Não basta o fato que essa única demo ditou gênero no Doom Metal e praticamente recriou o Funeral Doom, ela era em si absurdamente inspirada e carregava em si uma emoção que pouquíssimos discos que eu ouvi na minha vida conseguiram expressar. São quatro faixas da mais intensa melancolia, mas tudo dosado de uma forma tão espetacular que soa reconfortante. É absolutamente inexplicável. E inexplicavelmente lindo.

Max Varnier aka Fucked-Up Mad Max
E o segundo fato é que todas essas virtudes da demo foram arquitetadas por um francês - de nome não muito melancólico - Maximilien Varnier, ou, Fucked Up Mad Max. Ele se dividiu entre os vocais e a bateria na demo, enquanto quem se encarregou das guitarras foi Doommonger, de quem falaremos mais sobre logo adiante. A demo foi lançada em 1999 mas em 2001 (após gravar músicas que fariam posteriormente parte de uma série de splits com bandas igualmente sensacionais como Mournful Congregation, Agathocles, Stabat Mater e Loss) o mastermind do Worship, Max, resolve se despedir desse mundo se jogando de uma ponte no Canadá. Ou seja, temos cá uma banda famosa essencialmente por uma demo e cujo vocalista, mastermind e tomado por muitos como gênio, morreu se suicidando poéticamente. Por esses fatores pode-se afirmar tranquilamente que o Worship é uma das bandas mais cult ever. 

Mas enfim, a banda não acabou definitivamente com a morte de Max, embora tenha tido um hiato de músicas inéditas até meados de 2005 quando a banda surge desta vez liderada por Doommonger. Dessa volta da banda o resultado foi o primeiro full lenght, Dooom, que havia sido composto em 2000, ainda com Max, mas sofreu algumas revisões antes de ser lançado oficialmente por Doommonger. O álbum tem todas as caracteristicas presentes na demo (embora seja ingrato e injusto comparar qualquer coisa com um clássico) e não decepcionou os fãs e seguidores da banda, especialmente pelo valor sentimental agregado a um material originalmente composto por Max. A banda torna-se então uma espécie de tributo ao Max e suas composições e mas segue compondo músicas próprias e logo em 2007 lança um breve split com o Wither seguido de um outro split com o Persistence In Mourning. Até que em 2012 a banda traz seu segundo full lenght, Terranean Wake.

Vou fazer agora uma resenha dentro da resenha pra falar só sobre o Terranean Wake. Após o Dooom, ficou muita expectativa acerca de como a banda se comportaria sem influencia direta de Max, ainda mais por que a formação da banda mudou drásticamente. Enquanto no Dooom a banda era composta essencialmente por Doommonger fazendo de um tudo (guitarras, bateria, baixo, vocais), as coisas anteriormente gravadas pelo Max e por um apoio nas guitarras feito por Martin Tapparo aka Satachrist (que já havia participado antes do split com o Loss), em Terranean Wake temos de fato uma banda. Além de Doommonger, que agora se limita a guitarra e vocais, Satachrist permanece na segunda guitarra acompanhado de Gravedrummer na bateria e Doomnike no baixo. E isso se reflete em algo que o Worship sempre teve de sobra mas que agora ficou realmente absurdo, a densidade. Densidade dos riffs, que são lentíssimos mas ao mesmo tempo nada entediantes especialmente pelo fato de serem extremamente pesados, além da presença constante de uma guitarra lamuriosa solando ao fundo e segurando notas lúgubres e sinistas ao longo de riffs inspiradíssimos. É incrivel como é bem utilizado esse recurso das duas guitarras no álbum, de tal forma que em muitos momentos elas se intercalam de uma forma tão intensa que parece tranquilamente haver mais que duas guitarras. O baixo faz um papel tão importante quanto em outra banda do estilo (e que por sinal só deve existir uma banda à altura dela no ramo do Funeral Doom, o próprio Worship) que é o Corrupted. E esse papel é permear os momentos onde as guitarras vão se esvaindo em silêncio, deixando somente linhas de baixo presentes na sonoridade, e isso soa incrivelmente profundo. E esses momentos de quase silêncio ainda ganham vocais limpos susurrados em diversas faixas - mais uma herança maravilhosa da Last Tape Before Doomsday onde isso é tão bem e largamente utilizado.

A banda atualmente (O Doommonger é o da testa avantajada ali)

Além disso tudo, falta ainda ressaltar como os vocais são bons. Profundos e graves, como eu mais gosto, e arrastados e intensos como deveriam ser para um bom Funeral Doom. Doommonger tem um excelente vocal pro estilo, e ainda varia as coisas de formas interessantes, além do mais usual vocal arrastado do estilo. A bateria segue a linha simples e sem firulas do Funeral Doom, mas isso nem de longe quer dizer que ela não se destaque. Os pratos são pouquíssimo ouvidos durante o disco, e o andamento da bateria é absurdamente lento, às raias do limite para uma banda ser lenta sem se tornar completamente monótona. Mesmo assim o instrumento é tocado de forma extremamente competente, acompanhando os riffs lentíssimos sem se perder.

Enfim, é simplesmente uma banda seminal pro Funeral Doom e pro Doom Metal em geral e uma discografia como essa não se encontra em qualquer lugar. Esse é um reboot de um post feito a anos atrás com uma resenha bem maior e contando com o novo disco, espero que curtam, completem o que faltam pra vocês e conheçam essa pérola se nunca ouviram os caras. Claro, comece pela demo, e depois se aventure pelo resto. Francamente, obrigatória.



Last Vinyl Before Doomsday (DEMO) 
Reedição em vinil de 2002 da demo originalmente lançada em cassete em 1999
1999

Tracklist:

1. Whispering Gloom 11:53
2. Solicide and the Dawning of the Moonkult 10:59
3. Eclipse of Sorrow 08:18
4. Worship 15:23

MEGA





Keep On Selling Cocaine To Angels / Kicked And Whipped
Split com o Agathocles
2000

Tracklist:


1. Worship - Keep on Selling Cocaine to Angels 08:32
2. Agathocles - Making Punk a Farce Again 00:52
3. Agathocles - Kicked and Whipped 01:30
4. Agathocles - Hip Off 02:22

MEGA


Split com o Stabat Mater
Homônimo
2002

Tracklist:


1. Worship - Song for Our Slaves - In the Name of Selfkrucifixion 11:23
2. Stabat Mater - Give Them Pain 10:17

Crocko//Megashares//Bayfiles


Let There Be Doom.../The Epitome Of Gods And Men Alike
Split com o Mournful Congregation
2002
Tracklist:

1. Worship - Let There Be Doom... 08:27
2. Mournful Congregation - The Epitome of Gods and Men Alike 08:23

Megashares//Rapidgator//Uploaded//Outros Links



Worship / Loss
Split com o Loss
2005
Tracklist:

1. Worship - Devived 08:12
2. Loss - An Ill Body Seats My Sinking Sight 07:27

Bayfiles//Uploaded//Rapidgator//Outros Links

DooomFull-Lenght
2007

Tracklist:

1. Endzeit Elegy 08:38
2. All I Ever Knew Lie Dead 08:24
3. The Altar and the Choir of the Moonkult 08:11
4. Graveyard Horizon 09:41
5. Zorn a Rust-Red Scythe 08:06
6. Devived 08:17
7. Mirror of Sorrow (Solitude Aeturnus cover) 09:44
8. I Am the End - Crucifixion Part II 11:50

MEGA


Song Of Death / Ethereal Slumber
Split com o Wither
2007

Tracklist:

1. Worship - Song of Death 05:23
2. Wither - Etheral Slumber 07:07

Crocko//Megashares//Bayfiles

Não deu pra arrumar uma capa maior, desculpe!
Elemental Doom Trilogy I - Wood
Split com o Persistence In Mourning
2008
Tracklist:

1. Worship - Baumvater 05:29
2. Persistence in Mourning - Of Once Living Stone 03:52

MEGA

Também não achei capa maior!
Terranean Wake
Full-Lenght
2012
Tracklist:

1. Terranean Wake I - Tide of Terminus 17:29
2. Terranean Wake II - The Second Coming Apart 14:00
3. Terranean Wake III - Fear Is My Temple 10:30
4. Terranean Wake IV - End of an Aeviturne 13:50

Bayfiles//Turbobit//Rapidgator//Outros Links


PS: Quase todos os links foram upados pelo Ju, também conhecido como Brutales Opfer (sim o ex-upador do ignes que detém a honrosa marca de maior número de posts em seu nome na história do blog - e isso já faz anos!). O único que ele não upou foi o Terranean Wake que quem upou foi o Koticho. Agradeçam a eles!

11 Responses so far.

  1. Júnior says:

    Sensacional, Forba. E não é em qualquer lugar que se encontra uma resenha tão bem feita de uma banda "underground" como Worship. Obrigatório pra quem curte o estilo.

  2. Ariel C. says:

    Na maior parte das vezes, eu me limito a não ler o que você escreve, principalmente porque depois me flagro utilizando as mesmas expressões. Contudo, que resenha linda! Quero dizer, ao mesmo tempo que ela é uma aula sobre o que abordar para quem posta, é gostosa tanto para quem curte quanto para quem não curte a banda!

    Parabéns pela resenha, Milho.

  3. Forbidden says:

    Obrigado Ju e muito obrigado Ariel, e apesar dos trocentos pequenos erros de gramática e digitação que eu já achei, obrigado inclusive por não se apegarem a eles .-.

  4. Júnior says:

    Isso é o de menos, haha.

  5. Gostaria de deixar meus parabéns pelo post sobre o grandioso Worship.

    Só gostaria de pontuar alguns pontos e gostaria de saber sua opinião à respeito, pois ouço certas coisas de alguns do Worship que me incomodam:

    Que Max foi extremamente importante para o Worship todos sabemos, mas parece que por vezes ignoram o DoomMonger.
    DoomMonger escreveu metade das letras do Worship e 100% das músicas, isso mesmo 100% das músicas com exceção do cover de Solitude Aeturnus.
    Porém o que vejo é um culto excessivo a imagem do Max, você mesmo o chamou de mastermind do Worship.

    Quando DoomMonger reergueu o Worship recebeu várias críticas como se ele não tivesse aquele direito, como se a banda não fosse dele mesmo ele escrito 100% das músicas.
    No final das contas Dooom não decepcionou e creditavam isso quase que totalmente ao Max ainda, estranho não?

    Desculpe pelo infortúnio, é apenas o desabafo.

  6. Só pra adicionar mais algumas informações.

    O Worship não se tornou uma banda completa só agora, mas sim desde 2007 quando o Doom foi lançado, embora só Satachrist fez aparição no álbum.

    Na verdade o Worship não é bem uma banda completa, os outros músicos são uma espécie de músicos fixos pras performances ao vivo.

    Fato este comprovado no Terranean pois 100% das músicas e letras foram compostas pelo DoomMonger.
    Além disso DoomMonger gravou todos os instrumentos e vocais no estúdio, com exceção da Bateria. Até o Satachrist ficou de fora desse.
    Ou seja, essa densidade que você mencionou não se deve aos outros integrantes da banda, é a mente do DoomMonger responsável por tudo.

    Worship há muito tempo não vive na sombra do Max, não sejamos injustos com o DoomMonger, ok!?

  7. Forbidden says:

    Bom, obrigado pelas informações, mas eu gostaria de saber quais são suas fontes. Eu admito não ter nenhuma fonte específica pra saber da história da banda, apenas coisas que li por aqui e acolá. Mas sobre a densidade que eu citei na resenha, eu não disse que ela era especificamente devida à banda, só comentei que neste disco ela é muito presente. E de fato é o disco com o instrumental mais encorpado, na minha opnião, seja por qual motivo for.

    Enfim, não foi minha intenção ser injusto com Doommonger, muito pelo contrário. Mas a figura do Max, seja pelo culto ou não, é de grande importância pra se explicar pra quem desconhece o que é o Worship. Mas como citei anteriormente, voce pode ter razão, gostaria de saber como voce tem certeza disso, no entanto. Especialmente o fato de todas as músicas terem sido compostas pelo Doommonger.

  8. Cara, minhas fontes são o próprio material da banda e o próprio DoomMonger.
    Tenho todos os vinis que o Worship já lançou (inclusive todos autografados :D) e neles constam todas essas informações.
    E posteriormente confirmei tais informações com o DoomMonger.
    O Daniel é um cara muito acessível, você pode trocar uma idéia com ele por diversos meios e ele sempre responde de boa vontade apesar de ser muito atarefado com o trabalho. Como também sou fã do Beyond the Void temos outro ponto de intersecção para as conversas.
    Posso te dizer inclusive qual os setups de guitarra que foram utilizados em cada álbum com informações direto do Daniel.

    Inclusive te darei outra informação interessante sobre o novo álbum: a letra da primeira faixa (I - Tide of Terminus) é de co-autoria do DoomMonger e Max.
    Ah, tem outra também, eu disse 100% das músicas, mas pelo que eu me lembre foi o Satachrist que escreveu a Baumvater junto com o Daniel.

    --
    Importante dizer que me desculpe caso me exaltei, não comentei aqui pra recriminar ninguém. Como disse só desabafei um pouco, até porque nós, apreciadores do Funeral Doom, normalmente não temos muitos colegas e amigos que compartilham do mesmo gosto para trocar idéias à respeito, principalmente em pt_BR.

  9. Forbidden says:

    Que isso cara, tudo bem. Agradeço imensamente as informações e inclusive se quiser manter contato, podemos conversar mais a respeito. Me procure no facebook (Emílio Zanatta), por email (emiliojbzanatta@yahoo.com.br) ou mesmo no Soulseek (For.ba).

    Posso pensar em reeditar a resenha, mas talvez eu demore um pouco pra fazer isso. Quem sabe se voce tiver mais materiais interessantes da banda e tiver interesse que eu adicione ao post, valha a pena uma nova reconstrução.

    De qualquer forma aguardo contato. Abraço!

  10. Material publicável do Worship pra acrescentar não tenho, visto que toda discrografia está aqui postada. Porém tenho extenso material de outras bandas de Funeral Doom que posso disponibilizar.
    Te adicionei no facebook, lá te passo meus outros contatos.

    Abraço.

  11. Anônimo says:

    os links do Terranean Wake estão todos quebrados.

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.