quarta-feira, 24 de abril de 2013
Avatar

Forgotten Woods - Race of Cain

0 comentários
Gênero: Black Metal
País: Noruega
Ano: 2007

Comentário: Pensando em algum belo black metal para compartilhar aqui nesse espaço, resolvi fuçar umas coisas antigas e meio esquecidas, e me deparei com esse disco que já era pra eu ter postado há algum tempo, mas por algum motivo aconteceu de ser agora, e se trata de um dos discos mais controversos da obscura arte nórdica. Forgotten Woods dispensa apresentações (ou pelo menos deveria), mas se trata de uma banda norueguesa formada em 1991, com uma carreira irrepreensível (exceto por esse disco para alguns), sendo esse seu 3º e último full-lenght, e que após a gravação desse release e a saída de Thomas Torkelsen dos vocais, teve a entrada do queridinho e astro do Black Metal mundial Neige nos microfones, mas que até o momento não gravara nada com a horda.

Falando sobre o disco, foi lançado em junho de 2007, onze anos após o clássico "The Curse of Mankind", e nos trás uma sonoridade completamente diferente e uma produção realmente muito abaixo dos seus antecessores, sendo bem crua, pra não se dizer porca. Na formação, além do já citado Torkelsen, o grupo ainda contava com R.(guitarras e baixo), Olav Berland(guitarras, baixo e bateria) e Nylon(guitarras e contra-baixo). Esse album é formado de canções que foram capturadas em estúdio entre 2006 e 2007, e nos dá a impressão de serem gravadas muitas vezes em takes únicos, ao vivo, devido a grande diferença na sonoridade das faixas, além de alguns erros e deslizes principalmente em relação ao ritmo da bateria e improvisos tirados da manga em algumas passagens.

Com uma capa realmente muito bonita, esse trabalho anda no limiar entre a genialidade e o mau gosto, ficando a cargo do ouvinte, e seu intendimento de arte, julgar. Abandonando os argumentos e arranjos de outrora, com músicas longas de mais de 10 minutos, o que vemos aqui é um release com uma sonoridade pré black metal, com guitarras de riffs rápidos, bateria simples, e um contra-baixo que acompanha, deixa clara a influência punk, e até indie (alguns membros são ou foram membros da banda Joyless),  mostrando a veia RAW, o que é o ponto forte aqui.

Tudo aqui é muito intenso, as canções vão variando horrorosamente de mixagem e sonoridade, sendo gritante a diferença entre "One Day" e "A Landmine Reprisal", de tão tosco, parece que é outro cd tocando, como aquelas coletâneas nacionais de punk, gravadas cada conjunto em um estúdio diferente. "Intolerance is the New Law" tem uma pegada mais trampada, apesar de um chiado, é bem feita, com riffs legais, variações ritmicas e deixando a veia do it yourself de lado, mostrando músicos bem competentes. A cereja do bolo é a lindíssima "The Principle and the Whip" que tem a melhor mixagem/produção, com a participação de Anne Lise Frøkendal nos vocais, soberbo, vale o download, que voz maravilhosa. A faixa derradeira é a mais intensa, polêmica e controversa de todo o trampo. Mesmo com a horda não seguindo uma linha NS, o ouvinte pode se assustar com um refrão Sieg Heil (saudação nazista), mas o termo está inserido em um contexto músical e não pode ser pinçada. Após o término tem um trecho do programa Talkback do Reverendo Bob Larson, evangélico famoso por ser o padre Quevedo dos EUA, sempre confrontando satanistas (Glen Benton sempre em pauta, sério), e autor de obras literárias que relatam a visão cristã frente ao rock, RPG e tudo do universo jovem, de uma maneira militante contra o mesmos.

Bom, se eu praticamente só esculaxei o disco, por que baixar?? Posso citar muitos aspectos que tornam esse trabalho um clássico, mas o mais importante é a preocupação da banda em se reinventar, sem ligar pra rótulos, fazer um trampo RAW na raíz da palavra. Mesmo com uma produção tosca propositalmente, o grupo manda a mensagem que a arte vai muito além da pompa e investimento em coisas óbvias. Com uma honestidade incrível, a qualidade musical é algo singular, e quem tem uma sensibilidade na concepção em um todo, com certeza vai sacar a profundidade e o valor dessa obra muitas vezes criticada duramente, mas muito enaltecido na maioria das ocasiões. Um marco na história do Black Metal norueguês e um clássico na verdadeira concepção da palavra. Uma expressão perfeita para o album seria uma Raw Art, ou melhor, uma Regressive Art, recomendado para mentes abertas, e quem é fã do estilo e de arte de uma maneira geral.

LastFM / Myspace

Tracklist:
1.Race of Abel - 02:07
2.One Day - 04:50
3.A Landmine Reprisal - 03:14
4.Intolerance is the New Law - 06:37
5.Jedem das Seine / Erasing the Fuckhead Majority - 02:05
6.Here, in the Obsession - 09:33    
7.The Principle and the Whip - 05:36    
8.Nightly Paradise - 05:41
9.Third Eye (New Creature) - 12:12

Download:
Mega  / Rapidshare / Turbobit / Cloudzer / SendMyWay

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.