quarta-feira, 24 de julho de 2013
Avatar

Moveis Coloniais de Acaju - Discografia

1 comentários
Gênero: Ska, Rock
País: Brasil
Ano: 1998 até os dias atuais

Comentário: Moveis Coloniais de Acaju é uma banda formada no ano de 1998 em Brasília, a adorada capital. A banda conta com dez integrantes, nove músicos e um produtor e todos eles assinam as composições. Os integrantes são: André (vocal), Beto Mejía (flauta), Eduardo Borém (Gaita, Teclado e Escaleta), Esdras (Saxofone), Fabio (Baixo), Fernando (Guitarra), Paulo (Sax Tenor), Gabriel Coaracy (Bateria), Alexandre (Trombone) e Fabricio (Produtor). Toda essa pluralidade no arranjo faz a banda criar um som perfeito e único, fazendo ela se destacar no cenário atual e acarretar vários fãs ao longo do Brasil.

A banda deve ótimo destaque após o show no porão do rock, em 2000, na qual fez um incrível show que repercutiu no Brasil todo. A banda ainda venceu o FINCA duas vezes, em 2001 e 2002. A banda ainda é criadora de um ótimo festival que acontece em Brasília, chamado “Moveis Convida” que foi criado em 2005 com o objetivo de reunir banda de todo o país, e de fora também como foi o caso de bandas como Juana Fé do Chile, para uma noite incrível de shows, e ainda possui debates sobre o mercado musical.

O primeiro disco de chama “Idem” e foi lançado em 2005 e tem uma pegada mio experimental no ritmo que possui ótimas quebras. Nesse primeiro disco você percebe claramente o som único da banda e a vontade de sempre explorar novas sonoridades dentro de uma única musica fazendo assim você ter uma experiência incrível viajando por diferentes ritmos e sons.


Começando com “Perca Peso ( A Terceira Metade Do Meu Estresse)” a banda já mostra uma construção incrível no sopro e um clima incrível de animação que chega a lembrar marchinhas de carnaval. A letra também é um preto cheio que aparece falando das preocupações do dia-a-dia e vem muito bem encaixada nos instrumentos.

“Seria O Rolex? (Ego e Latrina)” apresenta uma sonoridade única da banda, além de uma quebra muito bem formada na qual eles puxam os instrumentos para algo mais sambista na percussão e um tanto cigano nos sopros.

E então temos a belíssima “Aluga-se-Vende (Sujeito a mudanças)” que é uma das musicas mais belas do disco, tanto pela letra que envolve um casal em separação quanto pelo acompanhamento dos instrumentos que fazem uma linda melodia que chega a apresentar certo tom de melancolia em certos pontos, que apertam o coração.

“Copacabana (Devaneios de Um Cubano Cubista)” já é a queridinha de todos, não só pela sonoridade, mas porque é nessa musica que a banda desce do palco para abrir uma roda no meio dos fãs, proporcionando uma incrível interação no show e fazendo deste algo memorável.

“Cego (Registro de Uma Inspiração Alheia)” possui, em minha opinião, uma das melhores letras do disco, um ponto ótimo de reflexão sobre o que é ser cego. Depois da sexta musica entramos em uma parte do disco mais experimental, com uma variação em maior nos ritmo e na sonoridade.

Começando por “Esquilo Não Samba (O triste e Recorrente Medo de: )” que começa com uma textura densa puxada pela guitarra no começo e que muda completamente depois do despertar notório puxada pela voz André. “E Agora Gregório ( Metamorfossa )” segue a mesma receita nas viradas, mas, claro, sempre apresentado uma sonoridade diferente, além da letra funcionar como um bom alivio cômico.

O segundo disco foi lançado na internet e pode ser baixo gratuitamente o que foi uma ótima tática de divulgação. “C_mpl_te” é o nome do disco, lê-se complete (serio?). Esse novo disco já traz uma sonoridade mais solida e marcante, deixando de lado o experimentalismo do primeiro disco, e procurando por uma atmosfera mais romântica e bela.

Ele abre com, olha só, “Adeus”, que já mostra o novo caminho que a banda está seguindo, seria ela um adeus ao velho caminho? A flauta aqui faz um trabalho incrível puxando a melodia e partes da musica em que o instrumento fala mais alto que a voz.

Apesar de terem deixado aquele experimentalismo no primeiro disco, a banda não cai na monotonia de uma sonoridade só, de uma coisa só, e nem deixa de lado as belas letras com sacadas geniais, e a segunda musica, “Lista De Casamento”, mostra isso de cara.

“O Tempo” foi a musica que mais estourou por ai, um fato justo, visto que a musica possui uma letra que, claramente, encanta todos além da construção, sempre, incrível.

“Descomplica” surge com seu clima dançante e uma letra incrível que prova que a banda não perdeu o gosto por metáforas. Enquanto a guitarra segue um ar ska, o sopro vai se construindo com momentos especiais na musica. E logo em seguida vem “Café Com Leite” que forma uma bela dupla com sua antecessora.

“C_mpl_te” é o segundo trabalho e o mais bem feito da banda, sem, claro, desmerecer o primeiro, ao invés disso, acredito que esse segundo seja uma evolução boa do primeiro, que ao invés de eliminar a parte experimental, transformou-a em canecões com melodias melhores construídas.


                                                            Idem - 2005

Tracklist
:
1. Perca peso
2. Seria o rolex?
3. Aluga-se vende
4. Copacabana
5. Menina-moça
6. Cego
7. Esquilo não samba
8. E agora, Gregório?
9. Swing hum e meio
10. Do mesmo ar
11. Sadô-masô
12. Receio do remorso

Download: Mirror

                                                           C_mpl_te - 2009
                             
Tracklist: 
1. Adeus
2. Lista de Casamento
3. O Tempo
4. Cão-Guia
5. Descomplica
6. Café com Leite
7. Pra Manter ou Mudar
8. Bem Natural
9. Falso Retrato
10. Cheia de Manha
11. Sem Palavras
12. Indiferença

Download: Mirror

One Response so far.

  1. Anônimo says:

    ha, agora correr atrás no novo álbum

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.