sábado, 29 de março de 2014
Avatar

Otto - The Moon 1111

0 comentários
 

Gênero: MPB
País: Brasil
Ano: 2012

Comentário: O lado mais escuro da lua de Otto ainda não ficou para trás, mas parece cada vez mais ofuscado; distante de sua realidade. Com uma sonoridade tipicamente oitentista, a primeira faixa de “The Moon 1111”, “Dia Claro”, revela essa tênue linha entre a obscuridade e luz, de letra ainda ressentida, mas com sonoridade alegre – saudosista, até. A primeira parte do álbum segue nesse trilho: de uma alegria brincalhona, com levada de pop music, guitarras e teclados escondendo a marcante percussão que caracteriza a sonoridade de Otto desde seu MTV ao vivo.

Álbum de inúmeras referências e sonoridades: pornográfico, denso, alegre, ordenadamente despretensioso e rico em detalhes – assim posso resumir o The Moon 1111, que depois de cinco anos tirou o Otto de seu hiato e o colocou de volta a cena musical com essa despretensão despudorada que ele soube trazer nesse trabalho.

O cover de “A Noite mais Linda do Mundo”, de Odair José lembra em arranjo muito a versão original, não deixando nada a desejar ao cantor brega, aliás Otto é um romântico-brega convicto, mesmo que sem todos os clichês, bebe muito dessa fonte. Então nada mais justo do que homenagear Odair José. Aliás, nos covers feitos por ele pode-se perceber por qual caminho o álbum trilhará, no aclamado “Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos” constava uma música de Nelson Gonçalves, que em suma ponto é mais “ressentido” do que Odair José, tais quais os álbuns e as propostas que vem com eles.

Divagações a parte, é com “Exu Parade” que se nota a percussão tão marcante nos últimos trabalhos de Otto. A letra dessa faixa, aliás, lembra um pouco um kitsch de maneira musical. Pensa que é de menta, chupa que é de uva. E Aviões do Forró agradecem pela homenagem, agora aguenta. No meio da percussão de Otto está à faixa-título do álbum, “The Moon 1111”, mesmo que também apresente atabaques, tambores e batidas bem marcantes ela se faz muito pinkfloydiana, ou pelo menos lembra, seja pelo título, ou pelo teclado e guitarra equiparáveis.

O álbum em si é mais alegre do que o anterior, chegando a brincar com a promiscuidade despudorada em “DP”, última faixa. “O que dirá o mundo”, em participação com o Lirinha – repetindo a fórmula de “Meu Mundo” – caberia muito bem no álbum anterior, não que seja de um completo desencaixe, mas encaixaria melhor entre “aqui é festa amor/ e a tristeza em minha vida”, do que em “eu vou fazer contigo uma DP”, ou talvez não. Talvez pela temática diversa do álbum a música se fizesse tão bem encaixada – como agora me parece – na estética despudorada/sensual/brincalhona do álbum.

Mesmo podendo não ser tão perfeito e com toda a soturnidade do “Certas Manhãs”, “The Moon” prova que a chamada nova MPB brasileira sabe recriar-se, mas sem perder o contato com si mesmo e com o passado e Otto é a prova disso, que fez da sua visão mais clara, mesmo ainda habitando o lado escuro de si mesmo.



Tracklist:

1. Dia Claro
2. Ela Falava
3. A Noite Mais Linda Do Mundo (A Felicidade)
4. Exu Parade
5. The Moon 1111
6. Selvagens Olhos, Nego!
7. HDeus
8. Miss Apple E Zé Pilantra
9. O Que Dirá O Mundo
10. DP

Download: MEGA

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.