segunda-feira, 15 de dezembro de 2014
Avatar

Os melhores discos de 2014 por Magal

7 comentários


O ano de 2014 me surpreendeu positivamente com os lançamentos realizados. Novas bandas surgiram, bandas clássicas lançaram material novo após muito tempo e outras conseguiram superar as expectativas. 

Pouco mais de um ano após minha estréia no Ignes, tenho a imensa satisfação de elaborar este Top 15 com os álbuns lançados em 2014 que mais me agradaram. Confesso que não foi fácil decidir, pois me empenhei ao máximo em escutar o maior número de lançamentos possíveis ( 187 para ser mais exato), e isso acabou gerando dúvidas e mais dúvidas.

Escutei novamente diversos lançamentos e consegui sanar as minhas dúvidas. Tentei refletir na ordem dos álbuns proporcionalmente à satisfação e importância que cada um deles possuem pra mim. Espero que gostem da minha seleção e que se possível, deixem um comentário citando os seus álbuns favoritos lançados em 2014 (sou curioso). Sem mais enrolação, esses são os 15 álbuns que mais me agradaram em 2014:


15) Conan - Blood Eagle
Doom / Stoner Metal

14) Young and in The Way - When Life Comes to Death
Crust / Black Metal 

13) Today is the Day - Animal Mother
Sludge Metal / Noise 



12) Dopelord - Black Arts, Riff Worship & Weed Cult
Stoner / Doom Metal

Se fosse pra citar um álbum com o título mais honesto e coerente com a proposta apresentada, certamente o Dopelord seria uma das minhas escolhas. Os poloneses fazem uma sonoridade bastante explorada e bem familiar, que consegue agradar com facilidade os apreciadores do gênero. O álbum traz faixas bastante agradáveis, com refrões marcantes e riffs sob medida. 

Ouça: Bandcamp


11) Bloodbath - Grand Morbid Funeral
Death Metal

A grande expectativa para saber como seria o Bloodbath com Nick Holmes no vocal foi grande. E o resultado foi ótimo! Nick mostrou ser uma decisão acertada e desempenhou o que tinha de melhor em Grand Morbid Funeral. E Nick vem bem acompanhado pelo instrumental esmagador feito pela banda, que distribui uma pancada atrás da outra no ouvinte, nos brindando com um álbum bem consistente.


Ouça: Spotify



10) Old Man Gloom - The Ape of God
Sludge Metal / Noise / Experimental

Após divulgar um álbum falso e enganar muita gente, o Gloom apresentou seu sexto álbum de estúdio. The Ape of God reforça a estrutura desenvolvida pela banda no álbum anterior, mesclando todos elementos e gêneros explorados faixa a faixa, ao invés de realizar faixas abordando estilos diferentes como acontecia no início da carreira. O álbum é duplo e traz uma sonoridade pesada combinada com uma vibe ambient bem sombria, com destaque mais uma vez para o empenho dos 3 vocalistas.

Ouça: Spotify I & II


9) Beyond Creation - Earthborn Evolution
Progressive / Technical Death Metal

Se o álbum de estréia The Aura já apresentava uma banda bastante técnica e entrosada, Earthborn Evolution veio para reafirmar isso. Abusando de um instrumental harmonioso e pesado, a banda não economiza na qualidade e nos brinda com um dos álbuns mais proveitosos de se ouvir deste ano. Através de linhas de baixo perfeitas, guitarras impecáveis e uma bateria brilhante, o Beyond Creation ainda conta com um vocalista preciso e dono de um vocal devastador.

Ouça: Spotify


8) Godflesh - A World Lit Only by Fire
Industrial Metal

É impressionante como Justin Broadrick e G.C. Green possuem uma química única e capaz de sobreviver ao tempo. O duo retorna com mais um álbum que completa fielmente a rica discografia do Godflesh. A abordagem regasta a essência dos trabalhos iniciais, trazendo uma dose experimental bem interessante. O instrumental foi muito bem elaborado e deixou o álbum com um aspecto de raiva e agonia. Destaque para "Life Giver Life Taker" e "Obeyed".

Ouça: Spotify


7) Lantlôs - Melting Sun
Post-Metal / Post-Rock / Shoegaze

O álbum pode não soar como os fãs de longa data da banda esperavam, fugindo um pouco dos padrões adotados nos álbuns anteriores, mas ficou ótimo! Melting Sun traz uma sonoridade bem relaxante e atmosférica, com um clima bem tranquilo e que consegue ser facilmente assimilado pelo ouvinte. Herbst ficou por conta dos vocais no álbum, e além disso, conseguiu direcionar muito bem essa nova proposta apresentada pelo Lantlôs.

Ouça: Spotify



6) Horrendous - Ecdysis
Death Metal

Em Ecdysis o Horrendous premia aqueles que apostaram na banda após o lançamento do seu álbum de estréia, o The Chills. O álbum é espetacular, apresenta um Death Metal que resgata a essência Old School e ainda soa como algo novo. Excelente do início ao fim, Ecdysis é um dos melhores lançamentos do estilo e do ano, no qual esse trio americano chega para reafirmar que a banda tem muito potencial e qualidade.

Ouça: Spotify


5) Triptykon - Melana Chasmata
Black / Death / Doom Metal

A.espera durou 4 anos, mas o tão aguardado segundo álbum do Triptykon foi lançado em 2014. O resultado disso foi a continuação da proposta apresentada em Eparistera Daimones, trazendo uma sonoridade intensa e bem agressiva. E até mesmo nos momentos em que a banda tira o pé do acelerador, as músicas não deixam de transmitir aquelas sensação sufocante e melancólica. Mais um ótimo álbum envolvendo o mestre Tom Warrior. Quem assina a arte é o incrível H.R. Giger, que infelizmente nos deixou esse ano.


Ouça: Spotify

4) Morbus Chron - Sweven
Progressive Death Metal

Sweven é o álbum que mais me surpreendeu em 2014. Quem já conhecia o Morbus Chron antes do lançamento do álbum, certamente imaginou que a banda manteria a sonoridade já apresentada anteriormente. Mas a banda mostra uma evolução interessante, num álbum em que conseguiram fazer um Death Metal agressivo e direto, combinando-o com elementos do Progressivo. Além do instrumental bem elaborado, o tom angustiante dos vocais merecem destaque. Sweven veio para ser um divisor de águas na carreira da banda, que passou por uma transição interessante nesse álbum.

Ouça: Spotify


3) Thou - Heathen 
Sludge / Drone / Doom Metal


Admito que Heathen não está entre os álbuns mais easy listening do ano, mas certamente está entre os mais impressionantes que ouvi. Tudo em Heathen soa bem encaixado, o instrumental pesado é acompanhado pelo vocal áspero de Bryan Funck, levando ao ouvinte uma atmosfera muito densa. A banda mantém a característica de não separar suas letras com versos ou estrofes, fazendo que o acompanhamento das letras do álbum se completassem ao ponto de formar um pequeno livro. Heathen não é um álbum simples, fazendo com que as palavras não transmitam claramente a beleza que é percebida por nossos ouvidos. 

Ouça: Spotify


2) Tantifaxath - Sacred White Noise
Experimental / Black Metal


Perturbador. Essa é a primeira coisa que consigo pensar ao falar de Sacred White Noise. A banda canadense Thantifaxath conseguiu captar a essência do Black Metal e adicionar diversos elementos para moldar uma sonoridade própria. O anonimato dos membros da banda leva todo o foco aonde ele deve ser direcionado: a música. Desde a faixa de abertura a banda trata de entregar uma sonoridade pesada, agressiva e desesperadora. As guitarras soam bem dissonantes em alguns momentos e são sempre acompanhadas por um instrumental quase que obrigatoriamente intenso. Mas engana-se quem pensa que a banda segue apenas uma linha tênue. O Thantifaxath é capaz de criar atmosferas sombrias e uma levada dark ambient aterrorizante. Sacred White Noise é um álbum indispensável para os apreciadores do metal extremo.

Ouça: Spotify


1) YOB - Clearing the Path to  Ascend
Sludge / Doom Metal


E o lançamento de 2014 que mais me agradou ficou por conta dos americanos do YOB. O sétimo álbum da banda traz 4 faixas com estruturas parecidas e características distintas. O álbum é acompanhado de uma atmosfera sombria e melancólica, trazendo riffs marcantes como o YOB já nos acostumou em seus trabalhos anteriores. Claering the Path to Ascend traz uma carga emocional maior do que em outros álbuns da banda, apresentando um vasto repertório de arranjos criados por Mike Scheidt. e um instrumental que alterna entre momentos intensos e estáticos. Trazendo uma temática voltada para o misticismo e o lado espiritual de cada indivíduo, o álbum funciona como uma jornada feita pelo ouvinte dentro de sua consciência. Mais do que entregar um álbum pesado, o YOB trata de fazer algo para ser apreciado e que seja marcante para o ouvinte, e disso, eu jamais poderei reclamar. 

Ouça: Spotify

7 Responses so far.

  1. Anônimo says:

    Excelente lista Magal, irei ouvir as bandas da lista que não conheço ainda, do seu top em comum com o meu são 3 bandas acho, achei que você ia colocar o novo dos Eyehategod também

  2. kadavar says:

    ainda bem que tem tudo no spotify.

  3. O novo do Eyehategod fico ótimo como era de se esperar, mas selecionar apenas 15 álbuns foi complicado. :s

  4. Anônimo says:

    E time to die?

  5. São muitos os álbuns que deixei de fora... alguns inclusive que me agradaram mais que o Time to Die. Se o top fosse mais extenso, talvez teria o seu lugar nele.

  6. É impressionante a melancolia que esse álbum do YOB transmite... Disco absurdo!!!!

  7. Verdade João Marcelo. De longe o álbum mais sombrio feito pela banda, mas não chega a se transformar em algo angustiante, as letras propõem uma reflexão bem interessante. Ao menos foi a ideia que consegui tirar dele.

Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.