quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015
Avatar

Izah - Sistare

0 comentários

Gênero: Atmospheric / Progressive Sludge Metal
País: Holanda
Ano: 2015

Comentário: Com a grande variedade de bandas lançando material novo a cada dia que passa, é impossível acompanhar de maneira que se tire proveito de tudo aquilo que mereça um pouco da nossa atenção. Em algumas ocasiões eu arrisco, me deixo levar pela capa e estilo designado à banda. Com o Izah, foi exatamente isso o que ocorreu.

A banda é oriunda de Tilburg, cidade famosa por receber o ótimo Roadburn Festival. O pouco tempo de carreira da banda e o fato de terem lançado até então um EP e um Split, me deixou com um pé atrás na hora de conferir o som. Por mais que existam muitas bandas que consigam demonstrar potencial no debut, não imaginei que seria o caso do Izah. 

Sistere é divido em quatro faixas de longa duração, que ultrapassam os 10 minutos. A faixa de abertura é a Indefinite Instinct. A faixa apresenta momentos em que o instrumental pesado é o plano principal, com um bom efeito causado pelas guitarras e pelos vocais rasgados característicos de bandas como Cult of Luna e Mouth of the Architect. Há também passagens mais estáticas, conduzidas por leves dedilhados na guitarra, vocais limpos e calmos, além de um clima sombrio causado pelos synths e efeitos de fundo. 

Duality já começa com um ritmo mais agressivo e direto. Riff num ritmo acelerado, acompanhado de perto pelo baixo distorcido e a bateria impactante, servem de plano de fundo enquanto o vocalista Sierk se sobressai. A faixa possui partes mais melódicas e com um instrumental bem preciso e detalhado, demonstrando muito bem o repertório criado pela banda. A evolução da faixa é interessante, apresentando mais uma vez as passagens mais estáticas que ocorrem na faixa de abertura, somadas ao final dinâmico contínuo, que em alguns instantes me lembrou algo do já citado Cult of Luna em seus primeiros álbuns.

Finite Horizon traz uma abordagem bem similar ao que foi feito pelo Isis no álbum Oceanic. A faixa apresenta um mix bem interessante entre momentos de ritmo arrastado, passagens de um instrumental leve e atmosférico, e outros de ritmo frenético repleto de ótimos riffs. O grande destaque da faixa é justamente os momentos mais calmos, que fazem bom uso de um instrumental mais contido e vocal limpo. O feeling criado nos momentos finais da faixa é incrível!

A faixa título encerra o álbum, é um petardo de 30 minutos. A faixa traz uma série de variações e abordagens mais distintas, trazendo momentos de um instrumental cadenciado e bem atmosférico, com outro estáticos numa levada bem ambient. As passagens mais agressivas do início me lembraram algo feito pelo Inter Arma no Sky Burial, uma série de riffs atordoantes e furiosos, com uma bateria bem acelerada. Eu sei que muitas pessoas "correm" de faixas longas desse tipo, mas Sistare vale a tentativa. O instrumental é tão bem elaborado e encaixado que não deixa falhas, nem aquela sensação de que a extensão da faixa foi para preencher espaço no álbum. 

O trabalho feito pelo Izah em Sistare está de grande tamanho para um álbum de estréia. A opção da banda por elaborar faixas mais longas, permitiu que a mesma pudesse utilizar bem todos elementos vindos do Sludge, Progressivo, Post-Metal e Noise, que formam o leque de influências da banda. O bom de se escutar algo novo de uma banda totalmente desconhecida, é de que não criamos expectativas e nem cobramos por uma qualidade característica. Vá com a mente aberta para escutar Sistare, uma boa pedida para aqueles que gostam de um Sludge Metal mais atmosférico e bem tocado.




Tracklist:

01 - Indefinite Instinct
02 - Duality
03 - Finite Horizon
04 - Sistare

Ouça em: Spotify


Leave a Reply

Link Off? Comente aqui mesmo ou na caixinha de bate papo ali do lado que a gente reposta rapidinho.

 
Ignes Elevanium © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

Poucos direitos reservados a nós e muitos para as bandas.